Corpo de Monarco é velado na quadra da Portela

Arquivado em: Destaque do Dia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado domingo, 12 de dezembro de 2021 as 11:36, por: CdB

 

Segundo informou a direção da Portela, os versos cantados por Dona Ivone Lara na despedida de Silas de Oliveira na canção “Adeus de um poeta” “bem cabem ao sentimento que o mundo do samba sente agora. “Por nós tu não terias ido agora/ É doloroso/ Todo o samba chora (…)/ É triste mas foi mais um bamba/ Que o mundo do samba Perdeu!”.

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro

O velório do presidente de honra da escola de samba da Portela, Hildemar Diniz, o Monarco, começou no fim da manhã neste domingo, na quadra da agremiação, no bairro de Oswaldo Cruz, Zona Norte da cidade. O enterro está previsto para as 17h, no Cemitério de Inhaúma. Monarco morreu no sábado, aos 88 anos.

Monarco morreu no sábado, aos 88 anos

“Luto no mundo do samba! Portela lamenta a morte de seu Presidente de Honra, Mestre Monarco”, expôs a agremiação, em seu ‘Twitter‘. Monarco estava internado desde novembro passado no Hospital Federal Cardoso Fontes, em Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio de Janeiro, para fazer uma cirurgia no intestino. Entretanto, ele não resistiu a complicações do procedimento. O compositor deixa esposa, filho, netos e uma legião de fãs e admiradores.

Segundo informou a direção da Portela, os versos cantados por Dona Ivone Lara na despedida de Silas de Oliveira na canção “Adeus de um poeta” “bem cabem ao sentimento que o mundo do samba sente agora. “Por nós tu não terias ido agora/ É doloroso/ Todo o samba chora (…)/ É triste mas foi mais um bamba/ Que o mundo do samba Perdeu!”.

Homenagem

Na sexta-feira, Monarco foi homenageado durante a inauguração da Sala de Troféus da Portela, que leva seu nome. Sua última apresentação em público foi na quadra da escola, onde participou da edição de outubro da Feijoada da Família Portelense.

O presidente da Portela, Luis Carlos Magalhães, bem como o vice-presidente, Fábio Pavão, a Velha Guarda Show da Portela, a Galeria da Velha Guarda e toda a diretoria da escola lamentaram o falecimento, além do governador fluminense, Claudio Castro, e do prefeito Eduardo Paes.

– O samba perde uma de suas maiores expressões. Lamento profundamente o falecimento de Mestre Monarco e expresso meus mais profundos sentimentos à família portelense e ao mundo do samba, ao qual ele dedicou seus 88 anos de vida – expôs o governador. O prefeito carioca, Eduardo Paes, se pronunciou no Instagram: “Meu querido amigo e padrinho se foi. Quanta tristeza. Obrigado por ter me proporcionado tantos momentos especiais. Vamos para sempre honrar sua poesia e amor pelo samba e pela Portela. Você vai fazer muita falta”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*

code