Covid-19: Brasil tem novo recorde de mortes diárias, diz Fiocruz

Arquivado em: Brasil, Manchete, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 26 de fevereiro de 2021 as 10:04, por: CdB

 

O país atingiu na quinta-feira um novo recorde de mortes diárias por covid-19, segundo a média móvel de sete dias medida pelo boletim Monitora Covid, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Por Redação, com ABr – de Brasília

O país atingiu na quinta-feira um novo recorde de mortes diárias por covid-19, segundo a média móvel de sete dias medida pelo boletim Monitora Covid, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Brasil tem novo recorde de mortes diárias

De acordo com o boletim, foram registradas quinta-feira 1.148 mortes. Foi o segundo dia consecutivo de recorde porque na quarta-feira houve 1.123 óbitos.

O número de mortes de quinta também foi 8,5% maior do que o observado 14 dias antes (1.058) e 9,2% acima do total de óbitos de um mês atrás (1.052).

Casos

O boletim também mostrou que o número de casos confirmados diários, segundo a média móvel de sete dias, chegou a 51.405, 13,3% a mais do que 14 dias antes (45.373 casos) e 0,9% acima de um mês antes (50.925).

Primeiro caso de covid-19

O Brasil identificou a primeira contaminação pelo novo coronavírus no final de fevereiro de 2020, enquanto a Europa já registrava centenas de casos de covid-19. A declaração de transmissão comunitária no país veio em março, mês em que também foi registrada a primeira morte pela doença.

Em abril, em meio ao isolamento social, o governo adotou medidas para mitigar o efeito da doença na economia, como linhas de crédito para as empresas, e enviou ao Congresso Nacional proposta de criação de auxílio emergencial, direcionado à população mais vulnerável.

Ainda em 2020, estudos sobre a vacina contra covid-19 avançaram e tornaram real a possibilidade de imunizar a população. Em janeiro deste ano, o Brasil começa a vacinar grupos prioritários, após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovar o uso emergencial da CoronaVac e da vacina de Oxford.

Com casos ainda em alta e vacinação em andamento, no início de 2021, vários Estados decretam toque de recolher para tentar conter o avanço da doença. E o carnaval foi cancelado para evitar aglomerações.