Covid-19: Irã jamais pedirá ajuda dos EUA, diz autoridade

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 6 de abril de 2020 as 13:39, por: CdB

O Irã jamais pedirá ajuda dos Estados Unidos na luta contra o novo coronavírus, disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Abbas Mousavi, nesta segunda-feira.

Por Redação, com Reuters – de Dubai

O Irã jamais pedirá ajuda dos Estados Unidos na luta contra o novo coronavírus, disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Abbas Mousavi, nesta segunda-feira.

Hospital de campanha em shopping de Teerã
Hospital de campanha em shopping de Teerã

O líder supremo, aiatolá Ali Khamenei, rejeita as ofertas de assistência humanitária feitas por Washington ao Irã, por ora o país mais afetado pelo vírus no Oriente Médio com suas 3.739 mortes e 60.500 pessoas infectadas, de acordo com as cifras mais recentes desta segunda-feira.

– O Irã nunca pediu e não pedirá que a América ajude Teerã em sua luta contra o surto… mas a América deveria suspender todas as suas sanções unilaterais ilegais sobre o Irã – disse Mousavi em uma coletiva de imprensa televisionada.

A tensão entre os dois países está alta desde 2018, quando o presidente norte-americano, Donald Trump, retirou seu país de um acordo de 2015 que suspendia sanções ao Irã em troca de limites ao seu programa nuclear. Washington reativou sanções que vêm abalando a economia iraniana.

Tensão

Autoridades do regime dizem que as punições dos EUA prejudicam seus esforços para conter o surto, exortando outras nações e a Organização das Nações Unidas (ONU) a apelarem para que os EUA as descartem.

– Eles (EUA) estão tentando forçar Teerã a aceitar negociações com a América – disse Mousavi.

Trump diz que o acordo nuclear não era forte o suficiente e quer aplicar “pressão máxima” para o Irã aceitar restrições mais severas ao seu programa nuclear, suspender o desenvolvimento de mísseis balísticos e parar de apoiar forças que atuam em seu nome no Oriente Médio. O Irã vem dizendo há tempos que não negociará a menos que Washington suspenda as sanções.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *