Covid-19 pode matar células do coração, revela pesquisa

Arquivado em: Destaque do Dia, Saúde, Últimas Notícias, Vida & Estilo
Publicado quarta-feira, 3 de março de 2021 as 13:04, por: CdB

Nova pesquisa detalha como o SARS-CoV-2 infecta o coração e mata células do músculo cardíaco. Os pesquisadores foram capazes de validar suas descobertas estudando o tecido de quatro pacientes com covid-19.

Por Redação, com Sputnik – de Nova York/Tel Aviv

Nova pesquisa detalha como o SARS-CoV-2 infecta o coração e mata células do músculo cardíaco. Os pesquisadores foram capazes de validar suas descobertas estudando o tecido de quatro pacientes com covid-19.

Nova pesquisa detalha como o SARS-CoV-2 infecta o coração e mata células do músculo cardíaco

Um novo estudo fornece evidências de que os danos ao coração de pessoas infectadas com o novo coronavírus são causados ​​pela invasão e replicação do vírus SARS-CoV-2 dentro das células do músculo cardíaco, levando à morte celular e interferindo na contração do músculo cardíaco. Os resultados foram publicados na semana passada na revista científica Journal of the American College of Cardiology: Basic to Translational Science.

Os cientistas realizaram autópsias em pessoas que morreram em decorrência da covid-19 e expuseram células-tronco cultivadas ao vírus, a fim de mostrar que o coronavírus pode infectar células do músculo cardíaco.

– No início da pandemia, tínhamos evidências de que este (novo) coronavírus pode causar insuficiência cardíaca ou lesão cardíaca em pessoas geralmente saudáveis, o que foi alarmante para a comunidade de cardiologia (…). Até mesmo alguns atletas universitários que foram liberados para voltar às competições de atletismo após a infecção por covid-19 mostraram posteriormente cicatrizes no coração – afirma em comunicado Kory Lavine, coautora.

Infecção real

Lavine acrescentou que há um debate contínuo sobre se o dano ao coração é causado pela infecção real do SARS-CoV-2 ou se decorre de uma resposta imune inflamatória desencadeada pelo vírus. Mas, de acordo com a cientista, este novo estudo deve encerrar o debate.

– Nosso estudo é único porque mostra definitivamente que, em pacientes com covid-19 que desenvolveram insuficiência cardíaca, o vírus infecta o coração, especificamente as células do músculo cardíaco (…). A inflamação pode ser um segundo golpe além dos danos causados ​​pelo vírus, mas a inflamação em si não é a causa inicial da lesão cardíaca – comenta Lavine.

Parte do motivo pelo qual essas questões de causalidade em danos ao coração têm sido difíceis de responder é a dificuldade de estudar o tecido cardíaco de pacientes com covid-19. Os pesquisadores foram capazes de validar suas descobertas estudando o tecido de quatro pacientes com covid-19 que tiveram lesão cardíaca associada à infecção, mas mais pesquisas são necessárias.

Vasos sanguíneos

Pesquisadores de Israel descobriram como as proteínas do coronavírus SARS-CoV-2 afetam vasos sanguíneos. Infectando as células do endotélio dos vasos, as proteínas do coronavírus aumentam a coagulação e criam inflamação.

Cientistas da Universidade de Tel Aviv, Israel, descobriram que as proteínas do SARS-CoV-2 afetam a permeabilidade vascular, impactando as células do endotélio, segundo estudo publicado no portal bioRxiv.

Após a fase inicial de infecção viral, cerca de 30% dos internados têm doença grave com danos progressivos nos pulmões e reposta imune exagerada, com sintomas tais como queda brusca do nível de oxigênio no sangue, tempestade de citocinas e também insuficiência renal e cardíaca.

Os cientistas afirmam que maioria destas patologias é ligada à coagulação excessiva no sangue e disfunção dos vasos.

O genoma do SARS-CoV-2 codifica 29 proteínas que determinam os sintomas da covid-19. Para observar o impacto das proteínas do coronavírus sobre as células do endotélio, os cientistas clonaram e expressaram 26 destas proteínas em células da veia do cordão umbilical humano.

Pela resposta do endotélio à superexpressão de cada proteína os cientistas determinaram como cada proteína do SARS-CoV-2, independentemente das outras, afeta as mudanças na barreira endotelial dos vasos sanguíneos, o aumento de coagulação, inflamação e libertação de citocinas.

Os cientistas descobriram que 70% das proteínas do coronavírus estimulam mudanças significativas na permeabilidade do endotélio que estão ligadas a vários fatores:

Impacto direto sobre as células que revestem a superfície interna dos vasos, causando disfunção do endotélio.

Lise celular, ou seja, destruição ou dissolução das células.

Rejeição da enzima conversora da angiotensina 2 humana (hACE2) pelas proteínas virais que aumentam a permeabilidade vascular.

Além disso, os pesquisadores acreditam que a resposta imune exagerada, quando ocorre a combinação de células imunes e neutrófilos, causa a produção de formas ativas de oxigênio, citocinas inflamatórias e moléculas vasoativas.

Precipitação de ácido hialurônico causa mudanças em ligações do endotélio, aumento de permeabilidade vascular, vazamento de sangue e coagulação.

Como resultado do estudo, os autores determinaram quais proteínas virais têm papel-chave na resposta fisiológica à infecção viral e, se baseando nas conclusões, prepararam recomendações para o desenvolvimento de remédios para suprimir essas proteínas.