CPI para investigar tráfico de órgãos é criada pela Câmara

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado quinta-feira, 4 de dezembro de 2003 as 22:11, por: CdB

O pedido de criação de uma CPI para investigar denúncias de tráfico de órgãos humanos foi lido em plenário pelo primeiro vice-presidente da Câmara, deputado Inocêncio Oliveira (PFL-PE). Requerida pelo deputado Neucimar Fraga (PL-ES), a CPI será instalada após os líderes indicarem os representantes das bancadas partidárias.

– O objetivo da CPI é garantir transparência aos processos de doação de órgãos, para resgatar a credibilidade da população, que se encontra abalada após a veiculação de tantas denúncias que confirmam a existência de uma máfia que atua no tráfico internacional de órgãos – justifica Fraga.

Segundo o deputado, o objetivo maior da CPI será colaborar para a criação de uma nova política nacional de transplante de órgãos. Algumas pessoas aguardam até 15 anos para receber órgãos transplantados, enquanto outras, desrespeitando a lei, são atendidas com rapidez.

– Estes órgãos são retirados de forma irregular para atender às pessoas que estão fora da fila. É por isso que a fila não anda. Existe acusação de que médicos estão acelerando a morte de alguns pacientes para fazer a retirada de órgãos, através da chamada morte encefálica – denuncia o deputado.

Outra prática irregular é a venda de órgãos por pessoas que pretendem conseguir dinheiro. O último caso registrado culminou com a prisão de 11 pessoas, inclusive dois israelenses, em Pernambuco. As pessoas eram levadas para fora do país (África do Sul) para a retirada dos órgãos, geralmente um dos rins.

Segundo o Ministério da Saúde, mais de 54 mil brasileiros estão na fila aguardando transplante de órgãos. Os transplantes mais solicitados são os de rins e de córnea. Em 2002 foram realizados no Brasil cerca de oito mil transplantes