Cresce apoio internacional à mobilização por Lula, em Porto Alegre

Arquivado em: Política, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 5 de janeiro de 2018 as 17:14, por: CdB

Ainda nesta sexta-feira, o cineasta Costa Gravas assinou o manifesto de apoio a Lula.

Por Redação – de São Paulo

Delegações de sindicalistas de vários países vão se somar aos milhares de manifestantes brasileiros; na vigília em apoio ao ex-presidente Lula, em Porto Alegre, no próximo dia 24. Será a data em que o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) julgará o recurso de Lula. Ele apela em um processo referente ao caso do tríplex do Guarujá; no litoral paulista.

O cineasta Costa Gravas assinou o manifesto em apoio a Lula
O cineasta Costa Gravas assinou o manifesto em apoio a Lula

Organizações mundiais de trabalhadores, como a Confederação Sindical Internacional (CSI); e a IndustriALL Global Union (sindicato mundial dos trabalhadores na indústria) intensificaram a mobilização de suas entidades filiadas para a atividade; particularmente as da América Latina. Ainda nesta sexta-feira, o cineasta Costa Gravas assinou o manifesto de apoio a Lula. Ele disse ao pré-candidato ao governo do Estado do Rio de Janeiro pela legenda do PT; embaixador Celso Amorim, que está ao lado do ex-presidente.

— Estou disponível para o que mais puder ser feito por Lula e pela democracia no Brasil — afirmou o cineasta grego, diretor de O Capital.

Situação do Brasil

Segundo o presidente da CSI, João Felício, e do secretário geral da IndustriALL, Valter Sanches, o movimento sindical internacional já vem se manifestando em defesa dos trabalhadores brasileiros e do ex-presidente Lula desde 2015; quando ocorreu o golpe contra a democracia e a presidenta Dilma Rousseff.

Segundo Sanches, o movimento sindical internacional tem muita expectativa em relação à situação do Brasil. Primeiro, porque quer que o processo democrático seja restabelecido, que haja eleição de fato em 2018, que Lula tenha o direito de ser candidato e de que se possa eleger um governo democrático-popular no país.  E, para defender a democracia, sindicalistas de vários países do mundo estão se empenhando para garantir a presença de representantes de suas entidades na manifestação do dia 24. 

— Eles querem contribuir com a luta dos trabalhadores brasileiros. Com certeza sairão ônibus de Argentina e do Uruguai, onde já um movimento de apoio muito forte ao ex-presidente, capitaneado pelas centrais sindicais dos dois países, como a uruguaia PIT/CNT e a argentina CTA — afirma Sanches.

Admirado

Ainda segundo ele, além da IndustriALL, outras organizações globais como a UNI Global Union (organização mundial de bancários e financiários), Internacional de Servidores Públicos (ISP) e a União Internacional dos Trabalhadores na Alimentação (UITA), entre outros, estão empenhadas em organizar caravanas de trabalhadores para a vigília de Porto Alegre. 

Segundo João Felício, “ninguém se recusa a dar apoio a Lula. Ele é muito admirado e respeitado pelo movimento sindical internacional, que o reconhece como o maior presidente que o Brasil já teve e como referência mundial”. 

— Para as organizações sindicais de todos os continentes está claro que o objetivo do julgamento é  tirar Lula do jogo eleitoral, atendendo as ordens das forças do mercado e de governos ultraconservadores. Impedir a sua candidatura será uma derrota mundial, uma derrota da democracia e de quem defende um mundo novo, com políticas inclusivas, com distribuição de renda, com relações solidárias com outros povos — completa o presidente da CSI. 

Agenda

Segundo o ex-ministro Gilberto Carvalho, em Porto Alegre, os eventos ocorrerão nos três dias: 22 com encontro de intelectuais pela manhã; encontro de juristas com o relançamento do livro dos 100 juristas e edição em inglês e espanhol; 23 áridas mulheres de manhã e ato/caminhada do Fórum Social Mundial à tarde; no final da tarde, diversas colunas partirão de locais diferentes em direção à praça Zumbi dos Palmares onde se iniciará a Grande Vigília.

— O julgamento começa às 8:30h e deve durar no máximo, ao que tudo indica, até às 14:00h. No final, haverá um ato de orientação da continuidade da luta. Lula ficará provavelmente em São Paulo, onde haverá ocupação da Paulista desde cedo e será recebido pela militância no final da tarde — descreve.

No dia 25, a Executiva Nacional faz uma reunião extraordinária para confirmar o lançamento da Candidatura Lula a Presidente; seja qual for o resultado do julgamento.

Marchinha

No dia 10, está prevista uma uma edição especial do jornal semanal Brasil de Fato, com 5 milhões de exemplares. A tiragem será distribuída em em todo o país. A mobilização visa demonstrar que Lula não pode ser condenado; porque não praticou crime. No dia 8, será lançada a campanha nacional “Cadê as provas?”; para as redes sociais e material visual.

— Até uma marchinha está prevista — concluiu Carvalho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *