Criptomoedas se aproximam de momento decisivo após o bitcoin

Arquivado em: Comércio, Indústria, Negócios, Serviços, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 8 de maio de 2020 as 15:35, por: CdB

No início, quando Satoshi Nakamoto — pseudônimo utilizado pela pessoa ou pessoas que criaram o bitcoin —, em 2008, em um trabalho acadêmico de nove páginas publicado na internet, ficaram previstas algumas premissas. Entre elas, o fato de que somente seriam emitidas 21 milhões de unidades do bitcoin, desde 2008 e até 2140.

Por Redação – de São Paulo

O mercado de moedas digitais conhecerá, na próxima segunda-feira, a próxima fase do bitcoin, em um evento conhecido no meio como halving. Os preços da moeda virtual tendem a sofrer, a partir desse momento, uma forte mudança, o que leva o segmento da mineração de criptomoedas a um novo patamar.

Coleção de tokens de Bitcoin
Coleção de tokens de Bitcoin, a criptomoeda que tende a alcançar um novo patamar de preços, em face das mudanças realizadas na cotação

No início, quando Satoshi Nakamoto — pseudônimo utilizado pela pessoa ou pessoas que criaram o bitcoin —, em 2008, em um trabalho acadêmico de nove páginas publicado na internet, ficaram previstas algumas premissas. Entre elas, o fato de que somente seriam emitidas 21 milhões de unidades do bitcoin, desde 2008 e até 2140. Até agora, foram gerados 18.365.725 bitcoins.

Tais emissões, ainda de acordo com o documento original, seguiriam a regra deflacionária que reduz a disponibilidade de novas unidades com o tempo. A emissão de bitcoins, maior nos primeiros anos, vem desacelerando à medida que a inflação da criptomoeda, inicialmente alta, vem sendo reduzida.

Processamento

As transações com bitcoins não são validadas por instituições oficiais, a exemplo das autoridades monetárias dos países, mas pela coletividade de operadores em uma rede chamada blockchain (cadeia de blocos, em inglês).

Tais premissas constam no algoritmo do bitcoin determinando que a remuneração por bloco validado seja reduzida à metade a cada 210 mil blocos na blockchain, em um prazo médio de quatro anos. Esta validação de transações, a mineração, sendo o corte na remuneração dos mineradores chamada de halving.

Sempre que alguém compra um bitcoin de alguém, a transação consta de um bloco junto a outras compras e vendas. A quantidade de operações por bloco flutua e, no último ano, ficou entre 1,5 mil e 2,6 mil. Tais negócios são validados mais ou menos a cada 10 minutos pelos mineradores, operadores que usam computadores com alta capacidade de processamento, capazes de resolver equações cujas complexidades tendem a crescer (o que também estava previsto no algoritmo original).

Novos blocos

Trata-se de um segmento de nível profissional, com grandes investidores mantendo “fazendas de mineração”, em locais onde o custo da energia elétrica é menor. Cada vez que um desses mineradores consegue resolver o problema matemático e acessar um novo bloco, as transações nele contidas são validadas, e o minerador é remunerado.

Essa remuneração começou em 50 bitcoins por bloco, mas é programada para ser cortada à metade. Foi assim em 2012, quando a blockchain contabilizou 210 mil blocos e a recompensa caiu para 25 bitcoins. Depois, em 2016, quando a rede chegou a 420 mil blocos, o prêmio foi cortado a 12,5 bitcoins.

É isso que acontecerá, na noite da próxima segunda-feira, entre 20h e 23h30 no horário de Brasília. Analistas do segmento acreditam que será contabilizado o bloco número 630.000 da blockchain do bitcoin. A partir desse instante, a recompensa cairá para 6,25 bitcoins por bloco validado.

Ativo virtual

É algo inevitável, pré-programado no algoritmo original. Aquele criado, viabilizado e explicado por Nakamoto. E é assim com outras criptomoedas cujos algoritmos, inspirados no bitcoin, também preveem halvings.

Ao contrário dos últimos dois halvings, em 2012 e em 2016, agora existe um mercado de moedas virtuais em níveis global e de varejo. Este próximo será o primeiro halving para a maior parte dos investidores, operadores e analistas do mercado de criptomoedas.

Alguns especialistas preveem que a cotação do bitcoin e sua atratividade para a mineração tendem a subir. Como a mineração é a única forma de emissão de novos bitcoins, o halving implica em reduzir a disponibilidade da moeda virtual. O corte na oferta com manutenção da demanda, até um possível aumento, tende a elevar o preço do ativo virtual.