Crise do covid-19 no Japão provoca apelos de reformulação do ano letivo

Arquivado em: Ásia, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 20 de maio de 2020 as 13:33, por: CdB

Defensores da tradição japonesa secular de iniciar o ano letivo em abril, quando as cerejeiras florescem, estão vendo nos fechamentos de escolas causados pelo coronavírus uma chance para reformas que dizem que internacionalizará a educação.

Por Redação, com Reuters – de Tóquio

Defensores da tradição japonesa secular de iniciar o ano letivo em abril, quando as cerejeiras florescem, estão vendo nos fechamentos de escolas causados pelo coronavírus uma chance para reformas que dizem que internacionalizará a educação.

Crise do coronavírus no Japão provoca apelos de reformulação do ano letivo
Crise do coronavírus no Japão provoca apelos de reformulação do ano letivo

A proposta de mudança para um início em setembro, como ocorre em muitos países ocidentais, tem implicações enormes para o recrutamento corporativo, já que a maioria das empresas contrata em massa depois que os alunos se formam em abril, quando o ano financeiro também começa.

– É uma oportunidade de ouro – disse Kunihiko Miyake, diretor de pesquisa do Instituto Canon de Estudos Globais, segundo o qual a mudança ecoaria em toda a sociedade.

– Ela mudaria dramaticamente a mentalidade, a educação e o recrutamento das pessoas e faria esta sociedade… mais flexível para que possamos sobreviver.

As preocupações

As preocupações com um ano acadêmico truncado depois que as escolas fecharam em março por causa do surto de coronavírus provocou um debate a respeito da mudança, que recebeu o apoio de alguns políticos destacados, como a governadora de Tóquio, Yuriko Koike.

A ideia circula há décadas. Uma proposta feita pelo presidente da Universidade de Tóquio em 2011 não avançou, apesar do endosso do grande lobby empresarial Keidanren.

Mas agora pesquisas mostram que muitos eleitores e a maioria dos governadores regionais são a favor, apesar de este último grupo se opor a uma mudança neste ano.

O Partido Liberal Democrata (LDP) do primeiro-ministro, Shinzo Abe, montou um grupo de trabalho para fazer recomendações no mês que vem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *