Críticas sobre aprovação abrupta de vacina local crescem na Índia

Arquivado em: Ásia, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 6 de janeiro de 2021 as 12:59, por: CdB

As críticas à aprovação pela Índia de uma vacina local contra covid-19 sem comprovação de eficácia aumentaram nesta quarta-feira após a notícia de que um painel regulador aprovou a vacina apenas um dia depois de pedir ao fabricante mais evidências de que funcionaria.

Por Redação, com Reuters – de Nova Délhi

As críticas à aprovação pela Índia de uma vacina local contra covid-19 sem comprovação de eficácia aumentaram nesta quarta-feira após a notícia de que um painel regulador aprovou a vacina apenas um dia depois de pedir ao fabricante mais evidências de que funcionaria.

Crescem críticas na Índia sobre aprovação abrupta de vacina local contra covid-19
Crescem críticas na Índia sobre aprovação abrupta de vacina local contra covid-19

As recomendações do comitê de especialistas (SEC) do regulador indiano de medicamentos divulgadas na terça-feira mostram que o painel pediu à Bharat Biotech International Ltd para apresentar mais dados de eficácia para sua injeção contra covid-19 antes que pudesse considerar a aprovação.

No dia seguinte, o comitê recomendou a aprovação da vacina da Bharat Biotech para “uso restrito em situação de emergência no interesse público como precaução”.

Uso de emergência para a vacina

O SEC também recomendou separadamente a autorização de uso de emergência para a vacina da Universidade de Oxford/AstraZeneca, produzida pelo Instituto Serum, da Índia.

O sinal verde para a Covaxin, da Bharat Biotech já havia enfrentado críticas de parlamentares da oposição e especialistas em saúde por falta de dados de eficácia, normalmente obtidos de um ensaio de Fase 3, que o fabricante ainda está conduzindo. As notícias das recomendações do SEC geraram mais críticas.

“O SEC… parece ter sido pressionado durante a noite para reconsiderar sua decisão e dar a aprovação no dia seguinte, embora limitada por muitas condições”, disse em um comunicado uma rede de grupos de defesa da ciência da Índia.