Crivella se envolve em acidente de trânsito

Arquivado em: Destaque do Dia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 1 de março de 2019 as 12:31, por: CdB

O veículo trafegava no Alto da Boa Vista, bairro que fica entre as Zonas Norte, sul e oeste da cidade, quando outro carro entrou na pista e colidiu com ele. Não foram divulgados mais detalhes.

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro

O carro oficial que transportava o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, se envolveu em um acidente de trânsito na manhã desta sexta-feira. Segundo a assessoria de imprensa da prefeitura, ninguém se feriu.

Prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella

O veículo trafegava no Alto da Boa Vista, bairro que fica entre as Zonas Norte, sul e oeste da cidade, quando outro carro entrou na pista e colidiu com ele. Não foram divulgados mais detalhes.

Após colisão de trens

Após a colisão de trens que deixou um morto e oito feridos na Zona Norte do Rio de Janeiro, a Supervia assinou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para reparar de forma individual e coletiva os danos causados pelo acidente. Pouco antes das 7h de quarta-feira, um trem que seguia para Deodoro colidiu com outro que estava parado na Estação São Cristóvão.

O TAC foi acertado com a Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro e prevê a distribuição de 30 mil bilhetes para passageiros do Ramal Deodoro, como uma forma de reparação coletiva. Os critérios para a concessão dos bilhetes deverão ser divulgados pela Supervia dentro de 30 dias.

Após o acidente, o maquinista Rodrigo da Silva Ribeiro Assumpção, de 40 anos, ficou mais de sete horas preso em ferragens e chegou a ser retirado com vida pelos bombeiros. Entretanto, ele morreu ainda na estação, apesar de bombeiros tentarem reanimá-lo por 20 minutos.

Indenização

Diante da Defensoria Pública, a Supervia se comprometeu ainda a custear integralmente o tratamento médico, fisioterápico e psicológico de todas as vítimas. Todos os passageiros atendidos e catalogados em unidades de saúde até amanhã em consequência da colisão serão ressarcidos. Ainda segundo a Defensoria Pública, está previsto o pagamento de indenização por danos morais às vítimas. O valor da reparação é confidencial.

As vítimas do acidente terão 120 dias para buscar reparação e precisam comprovar o dano relatado ou o atendimento. A adesão ao acordo extrajudicial é facultativa, e as vítimas que preferirem podem iniciar ações judiciais individuais.

O TAC foi assinado pela segunda subdefensora pública-geral do estado, Paloma Lamego, o subcoordenador do Núcleo de Defesa do Consumidor da Defensoria, Eduardo Chow, o presidente da Supervia, José Carlos Prober, e o advogado da empresa, Marcelo Ferreira Franco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *