Cuba recupera segunda caixa preta de acidente aéreo

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 25 de maio de 2018 as 11:45, por: CdB

O Boeing 737, arrendado pela pouco conhecida empresa mexicana Damojh à principal companhia aérea de Cuba, a Cubana, seguia para Holguin, cidade do leste do país. Das vítimas, 100 eram cubanas

Por Redação, com Reuters – de Havana:

Equipes de resgate cubanas recuperaram o gravador de dados do avião de passageiros que caiu na semana passada, matando 111 das 113 pessoas a bordo, anunciou a televisão estatal de Cuba no noticiário noturno da quinta-feira.

Equipe de resgate trabalha em local de queda de avião Boeing 737 perto de Havana, em Cuba

As equipes já haviam encontrado o gravador de voz da cabine. Vídeos da tragédia feitos por transeuntes e moradores; além de seus depoimentos, ajudaram os investigadores a encontrarem o segundo gravador.

Ambos, conhecidos como “caixa preta”, são cruciais para explicar o que aconteceu com o avião de 39 anos de uso; que mergulhou nos campos ao sul de Havana pouco depois de decolar e pegou fogo.

O Boeing 737, arrendado pela pouco conhecida empresa mexicana Damojh à principal companhia aérea de Cuba, a Cubana, seguia para Holguin, cidade do leste do país. Das vítimas, 100 eram cubanas.

Sete mexicanos, dois argentinos e dois saarauis de uma área disputada do Saara Ocidental conhecida como República Árabe Saaraui Democrática também morreram no acidente.

Investigação

Cuba está liderando a investigação sobre o acidente, um dos piores da história da ilha caribenha; juntamente com investigadores mexicanos e norte-americanos.

Só duas cubanas sobreviveram, mas estão em estado grave devido a queimaduras e outros traumatismos; disse o diretor do hospital onde estão internadas.

Na segunda-feira a autoridade de aviação civil do México informou ter suspendido temporariamente as operações da Damojh; para averiguar se ela cumpre os regulamentos e coletar informações que ajudem os investigadores a descobrirem o motivo da queda.

Queixas anteriores sobre manutenção inadequada e medidas de segurança vieram à tona nos últimos dias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *