Defesa de ‘El Chapo’ pedirá anulação de julgamento a cortes internacionais

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019 as 13:51, por: CdB

O júri de Nova York declarou nta terça-feira que “El Chapo” é culpado das 10 acusações contra ele como chefe do Cartel de Sinaloa, o que pode condená-lo à prisão perpétua.

Por Redação, com EFE – da Cidade do México

Os advogados mexicanos que tentaram evitar a extradição de Joaquín “El Chapo” Guzmán aos Estados Unidos anunciaram na terça-feira que buscarão diante de cortes internacionais a anulação do seu julgamento em Nova York por considerá-lo “ilegal”.

Joaquín “El Chapo” Guzmán

Em entrevista coletiva na Cidade do México, Juan Pablo Badillo e José Luis González alegaram que a transferência do traficante para Nova York em 2017 aconteceu fora dos limites da lei, uma vez que a extradição só foi autorizada para cortes da Califórnia e do Texas.

– Por consequência, todos os atos judiciais desta corte de Nova York são nulos de pleno direito, porque têm vícios de origem – afirmou Badillo, que disse não ter deixado de representar “El Chapo”, apesar da sua extradição.

Este advogado sustentou que o traficante “foi entregue de forma ilegal a Nova York e confinado em uma prisão de segurança extrema em privação ilegal da sua liberdade e sob um regime de tortura física e psíquica, em condições de sequestro”.

Por esse motivo, indicou que buscarão a Corte Internacional de Justiça da Haia e a Corte Interamericana dos Direitos Humanos, além de expor esta situação ao Alto Comissariado de Direitos Humanos da ONU e à Anistia Internacional.

Por sua parte, José Luis González lamentou que “El Chapo” só tenha recebido uma visita, a da sua irmã, desde que foi extraditado a Nova York, razão pela qual os advogados pedirão “vistos humanitários” na embaixada dos Estados Unidos no México a fim de que outros familiares possam visitá-lo.

Além disso, anunciou que apresentarão uma denúncia no Ministério Público do México contra o ex-chanceler mexicano, Luis Videgaray, e o ex-secretário de governo, Miguel Ángel Osorio, por terem extraditado “El Chapo” aos EUA apesar da existência de quatro recursos não resolvidos.

Ambos advogados disseram ainda que viajarão em breve a Nova York para se reunir com o traficante e falar sobre sua situação judicial.

O júri de Nova York declarou nta terça-feira que “El Chapo” é culpado das 10 acusações contra ele como chefe do Cartel de Sinaloa, o que pode condená-lo à prisão perpétua.

Os advogados de “El Chapo” durante este julgamento, que durou três meses, afirmaram que apresentarão uma apelação contra a sentença condenatória do traficante, que foi extraditado aos EUA em 20 de janeiro de 2017 depois de ter escapado em 2014 de uma prisão mexicana de segurança máxima.