Delegado e filha são baleados em tentativa de assalto no Rio

Arquivado em: Destaque do Dia, Polícia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 18 de maio de 2018 as 14:23, por: CdB

Os dois foram baleados e encaminhados para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, também na Zona Sul do Rio

Por Redação, com ABr– do Rio de Janeiro:

O delegado aposentado Evandro dos Reis José e sua filha Lívia José foram baleados na noite aterior, durante uma tentativa de assalto no bairro da Urca, na Zona Sul do Rio de Janeiro. Segundo a Polícia Militar (PM), Evandro foi abordado por criminosos na Rua Doutor Xavier Sigaud e reagiu à tentativa de assalto.

Delegado aposentado e filha são baleados em tentativa de assalto

Os dois foram baleados e encaminhados para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, também na Zona Sul do Rio. Uma criança de 1 ano de idade, que estava no banco traseiro do veículo alvejado, não foi atingida.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, Evandro já foi submetido a uma neurocirurgia e, em seguida, transferido para uma unidade particular. Já Lívia aguarda transferência para um hospital privado.

Festa da milícia

O juiz Eduardo Marques Hablitschek, da 2ª Vara Criminal de Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio, acolheu pedido do Ministério Público estadual e revogou na quinta-feira; a prisão preventiva de mais 10 dos 159 detidos numa operação policial de combate à milícia em uma festa num sítio; que resultou também na morte de quatro pessoas que fariam parte do grupo criminoso.

Dezenas de armas foram apreendidas pela Polícia Civil durante a ação. Como 137 dos presos na festa foram colocados em liberdade provisória no dia 25 de abril; apenas 12 continuam com a prisão preventiva decretada à disposição da Justiça.

Na decisão, o magistrado destacou que há indícios fortes da ocorrência de condutas criminosas no local da prisão dos envolvidos. Todavia, cabe ao Ministério Público o pronunciamento sobre a deflagração de eventual ação penal; que atribua a cada um dos investigados a responsabilidade criminal devida.

– Como já me manifestei nos autos, a lei brasileira não confere um salvo conduto a quem é primário e ostenta bons antecedentes. No entanto, o próprio Ministério Público, titular da ação penal; não vislumbrou a necessidade da custódia cautelar dos indiciados – escreveu o juiz Eduardo Marques.

Dos 10 homens colocados em liberdade provisória, seis terão; que pagar uma fiança no valor de um salário mínimo.

Festa da milícia

Os 159 homens foram presos num sítio durante uma festa que; segundo a polícia, era realizada em homenagem a Wellington da Silva Braga, o Ecko, apontado como líder da milícia Liga da Justiça; que age na Zona Oeste do Rio. Investigado por integrar organização criminosa armada com atuação na prática de milícia privada na zona oeste, ele conseguiu fugir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *