Demissões e o carrão blindado de Guedes

Arquivado em: Opinião, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 9 de julho de 2020 as 10:19, por: CdB

Com o país totalmente desgovernado, não tem sequer ministro titular da Saúde, a covid-19 segue matando milhares e desgraçando a vida de milhões, com desemprego, arrocho salarial e precarização. No setor aéreo, por exemplo, a tragédia é total.

Por Altamiro Borges – de São Paulo

Com o país totalmente desgovernado, não tem sequer ministro titular da Saúde, a covid-19 segue matando milhares e desgraçando a vida de milhões, com desemprego, arrocho salarial e precarização. No setor aéreo, por exemplo, a tragédia é total. A agência inglesa de notícias Reuters informa que a companhia Azul já demitiu mais de mil funcionários.

 Paulo Guedes
Paulo Guedes

O facão representa 7% do quadro funcional da empresa, que era de 13.698 trabalhadores no fim de março. “Além das demissões, a Azul abriu um programa envolvendo demissão voluntária, aposentadoria antecipada e licença não remunerada que afirma ter tido adesão de mais de 2 mil tripulantes”.

A crise no setor aéreo é devastadora. No mês passado, a Gol anunciou acordo com pilotos e comissários para cortar jornada e salários até 2021. Já a Latam, maior companhia aérea da América Latina, entrou com pedido de recuperação judicial nos EUA. O clima é de pânico na categoria, que está sendo dizimada.

O carro blindado de R$ 180 mil

Enquanto os trabalhadores sofrem com a pandemia, com mortes, demissões e outras desgraças, o rentista Paulo Guedes segue impávido no laranjal de Bolsonaro. A mesma agência Reuters informa que o “Ministério da Economia no Rio de Janeiro orça carro blindado de R$ 180 mil para os deslocamentos de Guedes”.

Segundo a Reuters, a superintendência do ministério “pediu orientação interna para a compra de um veículo Corolla blindado modelo XEI 2020/2021, orçado no valor de R$ 179,9 mil, para deslocamentos do ministro Paulo Guedes ‘durante suas estadas semanais’ na capital Fluminense”.

A doce notinha informa que “antes da pandemia, Guedes rotineiramente voava de Brasília ao Rio de Janeiro nas tardes de quinta-feira, retornando à capital federal no início das segundas”. No fim de março, contudo, ele passou a morar na Granja do Torto, uma das residências oficiais da Presidência, a convite de Bolsonaro.

Segundo à Reuters, o czar da economia ainda não sabe se voltará a rotina anterior, com as viagens semanais ao Rio de Janeiro e o uso do carrão blindado. Até a compra do veículo pode ser reavaliada. Tantas dúvidas… Enquanto isso, milhões de trabalhadores são demitidos e outros milhares morrem pela covid!

 

Altamiro Borges, é jornalista.

As opiniões aqui expostas não representam necessariamente a opinião do Correio do Brasil