Democratas buscam pressionar com projeto de lei para acabar com paralisação nos EUA

Arquivado em: América do Norte, Manchete, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 3 de janeiro de 2019 as 10:53, por: CdB

A aprovação do projeto de lei pela nova maioria democrata é esperada para pouco depois de Nancy Pelosi ser eleita presidente da Câmara.

Por Redação, com Reuters – de Washington

Em sua primeira ação no controle da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos, os democratas planejam aprovar um projeto de lei nesta quinta-feira para acabar com uma paralisação federal sem financiar um muro na fronteira com o México, tentando responsabilizar o presidente Donald Trump e seus republicanos pelos 13 dias paralisados.

Líder democrata no Senado, Chuck Schumer, concede entrevista ao lado da líder democrata na Câmara, Nancy Pelosi, e outros parlamentares do partido, após reunião na Casa Branca com o presidente Donald Trump, em Washington

A aprovação do projeto de lei pela nova maioria democrata é esperada para pouco depois de Nancy Pelosi ser eleita presidente da Câmara.

Mas o líder da maioria no Senado, Mitch McConnell, afirmou na quarta-feira que sua Casa, ainda nas mãos dos republicanos, não votará a legislação.

A exigência de Trump de um financiamento de US$ 5 bilhões para um muro ao longo da fronteira entre os EUA e o México provocou uma paralisação que está afetando cerca de um quarto do governo federal e 800 mil funcionários federais.

Reunião de Trump com parlamentares

Líderes democratas e republicanos do Congresso dos Estados Unidos saíram de uma reunião com o presidente Donald Trump na quarta-feira sem dar sinais de um avanço para encerrar paralisação parcial do governo, que está no 12º dia, enquanto Trump mantinha firme sua demanda por US$ 5 bilhões em financiamento para um muro na fronteira.

O líder republicano da Câmara, Kevin McCarthy, disse a repórteres que Trump pediu aos líderes do Congresso que voltem à Casa Branca na sexta-feira para mais conversações com o objetivo de encerrar a paralisação.

Os democratas disseram que vão prosseguir com os planos de manter votação na quinta-feira, quando assumirão formalmente o controle da Câmara dos Deputados, sobre legislação que acabaria com a paralisação sem fornecer o dinheiro para o muro, como quer Trump. A Casa Branca chamou o pacote de duas partes de inaceitável.

– Pedimos ao presidente que abra o governo – disse a repórteres na Casa Branca a democrata Nancy Pelosi, que deve assumir a presidência da Câmara, depois que importantes parlamentares se reuniram com Trump e suas autoridades de segurança interna a portas fechadas.

A demanda de Trump por US$ 5 bilhões em fundos para um muro ao longo da fronteira dos EUA com o México provocou a paralisação que afetou cerca de um quarto do governo federal e 800 mil trabalhadores federais. Antes de se reunir com parlamentares, Trump disse que a paralisação duraria “o tempo que fosse necessário”.

– Pode ser um longo tempo – disse Trump a repórteres durante uma reunião do gabinete, “ou pode ser rápido”.

– Sabemos que temos um desafio ao longo da fronteira – afirmou McCarthy. “Queremos resolver essa questão. Queremos ter certeza de abrir o governo. E acho que, no final das contas, o presidente quer resolver isso também.”

Quando os democratas, liderados provavelmente por Pelosi, assumirem Câmara dos Deputados na quinta-feira, eles planejam aprovar um pacote de gastos em duas partes para acabar com a paralisação. Mas suas perspectivas de aprovação no Senado são sombrias, já que os republicados detêm a maioria.

As medidas dos democratas não incluem os US$ 5 bilhões para o muro, uma das promessas-chave da campanha de Trump, e preparam o terreno para a primeira grande batalha do novo Congresso entre a Câmara democrata liderada por Pelosi e um Senado republicano liderado por Mitch McConnell.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *