Deputada confirma uso de perfis falsos por família Bolsonaro

Arquivado em: Política, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 22 de outubro de 2019 as 14:37, por: CdB

Deputada confirmou a existência de mais de 20 perfis falsos em redes sociais criados por pessoas ligadas a Flavio, Eduardo e Carlos Bolsonaro.

Por Redação – do Rio de Janeiro

A deputada federal e ex-líder do PSL no Congresso Nacional, Joice Hasselmann, em entrevista a um programa de televisão, disse que “nunca houve tanta interferência de uma família dentro de um poder” como existe no governo do presidente Jair Bolsonaro. De acordo com um portal de mídia conservadora, a parlamentar confirmou a existência de mais de 20 perfis falsos em redes sociais criados por pessoas ligadas a Flavio, Eduardo e Carlos Bolsonaro.

Hasselmann alega que além de fake news, difamações também são disseminadas e que
Hasselmann alega que além de fake news, difamações também são disseminadas e que “não apanhará e ficará quieta”

– Disse ao presidente, ‘Me ajude a te ajudar’. Esse tipo de fazer um puxadinho do Palácio do Planalto familiar não vai funcionar, isso não é bom para ninguém. Nunca houve tanta interferência de família dentro de um poder, nem na época do Sarney. Isso é perigoso para o país”, disse Joice no prorama de televisão na noite de segunda-feira.

– Disse ao presidente, ‘Olha, está errado esse tipo de posicionamento. O senhor não pode usar seu WhatsApp para atacar pessoas públicas, ou mesmo os seus filhos porque eles têm o ônus e o bônus de ser o filho do presidentes’. Quando o filho do presidente fala uma frase, o peso dela é dez vezes maior – completou a parlamentar.

Ainda de acordo com o portal, Hasselmann alega que além de fake news, difamações também são disseminadas e que “não apanhará e ficará quieta”. Segundo um diário conservador paulistano, a deputada está mapeando perfis que espalham notícias falsas.

As denúncias sobre a chamada milícia digital começou na última semana. Em uma rede social, Hasselmann disparou contra os filhos do presidente e escreveu: Hasselmann atacou Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) escreveu: “Olha só mais um “presentinho” da milícia digital para mim. Anota aí: NÃO TENHO MEDO DA MILÍCIA, NEM DE ROBÔS! Meus seguidores são DE VERDADE, orgânicos. E não se esqueçam que eu sei quem vocês são e o que fizeram no verão passado”.

Com base nessas declarações, a deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) será convocada para depor na CPI das Fake News na Câmara dos Deputados.

Na última quinta-feira, o presidente Jair Bolsonaro decidiu tirar a deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) da liderança do governo no Congresso Nacional, após o envolvimento da parlamentar na polêmica disputa sobre a liderança do PSL na Câmara, e irá substituí-la pelo senador Eduardo Gomes (MDB-TO).

A mudança ocorre depois de Joice ter assinado tanto uma lista para manter o deputado Delegado Waldir (GO) como líder do partido na Câmara. Joice estava se mantendo afastada da disputa direta entre as duas alas do partido, apesar de, na semana passada, ter criticado os colegas que fizeram uma nota em apoio a Bolsonaro. Segundo ela, uma lista com apenas 22 nomes dava a entender que Bolsonaro teria apoio de menos da metade da bancada.

Na quarta-feira, quando as duas alas iniciaram uma disputa para tentar destituir Waldir da liderança do partido, Joice inicialmente assinou a lista a favor dele, mas em seguida também assinou a lista em favor de Eduardo — de quem é desafeto desde a campanha.

Na época, em uma rede social, a parlamentar comentou a decisão de tirá-la da liderança do governo, medida já oficializada no Diário Oficial da União nesta quinta, Joice argumentou ter trabalhado pelo governo e chegou a usar o termo “ingratidão” e a falar em traição.

“Deixo a liderança no Congresso com dever cumprido. Articulei reforma da Previdência em todo país, aprovei o PLN que deu ao Presidente da República @jairbolsonaro 248 bilhões de reais e o salvou de um impeachment, contive inúmeras crises. Não me importo com a ingratidão. Meu couro é duro”, publicou a deputada.

“E como eu disse muitas vezes: ‘Eu jamais seria a primeira a trair’. Então, nunca trairia, mas sabia que poderia esperar a traição. Nada me abala. Todas as vezes que tentaram puxar meu tapete eu caí para cima! Então esperem”, acrescentou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *