Deputados tentarão conter ‘Brexit duro’ com emenda na lei de finanças

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 8 de janeiro de 2019 as 12:58, por: CdB

Se for aprovada, impediria o governo da primeira-ministra Theresa May de aumentar certos impostos e tomar outro tipo de medidas financeiras sem autorização do parlamento no caso de um Brexit sem acordo.

Por Redação, com EFE – de Londres

Um grupo de deputados britânicos tentará dificultar que o Reino Unido saia da União Europeia (UE) sem um acordo no próximo dia 29 de março com uma emenda ao projeto de lei de finanças, que será votado nesta terça-feira no parlamento.

Se for aprovada, impediria o governo da primeira-ministra Theresa May de aumentar certos impostos e tomar outro tipo de medidas financeiras

A emenda a esta legislação, necessária para que entre em vigor o orçamento do Estado, foi impulsionada pela trabalhista Yvette Cooper e pela conservadora Nicky Morgan, e conta com apoio de parlamentares de vários partidos.

Se for aprovada, impediria o governo da primeira-ministra Theresa May de aumentar certos impostos e tomar outro tipo de medidas financeiras sem autorização do parlamento no caso de um Brexit sem acordo.

Com esta estratégia, que tem o efeito de complicar o processo, os deputados pretendem demonstrar ao Executivo conservador o grau de oposição que existe na Câmara dos Comuns a uma saída não negociada da UE, algo que não foi descartado por May.

Dado que a emenda é apoiada também por parlamentares conservadores, não se descarta que o governo finalmente aceite incorporá-la ao texto da lei, a fim de evitar uma embaraçosa derrota quando for votado hoje.

O ministro de Comércio Internacional, Liam Fox, opinou, no entanto, que “é irresponsável atar as mãos do governo neste momento” e disse que a emenda não impedirá que o Reino Unido abandone a UE sem pacto bilateral se for o caso.

May recebeu na sua residência oficial de Downing Street um grupo de mais de 200 deputados que lhe enviaram uma carta pedindo-lhe que descarte um Brexit “duro”.

Além disso, a chefe do Executivo tem dado atenção especial a seus colegas conservadores e aos seus parceiros do norte-irlandês Partido Democrático Unionista (DUP), em outra tentativa de persuadir-lhes a apoiar o acordo de saída que pactuou com Bruxelas.

A expectativa é que o tratado seja votado nos Comuns no dia 15 de janeiro, depois de um debate parlamentar que começa amanhã e no qual se espera que May detalhe as melhorias ao texto que conseguiu com a UE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *