Desabamento de prédios deixa mortos no Rio de Janeiro

Arquivado em: Manchete, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 12 de abril de 2019 as 10:29, por: CdB

O desabamento ocorreu dias após o Rio de Janeiro ser atingido por chuvas recordes que provocaram diversos danos na mesma região dos prédios que desmoronaram.

Por Redação, com Reuters – do Rio de Janeiro

Dois prédios residenciais desabaram na manhã desta sexta-feira em uma comunidade da Zona Oeste do Rio de Janeiro, deixando pelo menos três mortos e dois feridos, além de um número ainda desconhecido de desaparecidos, informou o Corpo de Bombeiros.

Desabamento de prédios deixa pelo menos dois mortos no Rio

Moradores da comunidade da Muzema, no bairro do Itanhangá, disseram que pelo menos quatro famílias moravam nos edifícios de quatro andares, que estariam com as obras incompletas.

– Já foram socorridos dois feridos e houve dois óbitos. As equipes estão no local à procura de sobreviventes que possam estar soterrados – disse um porta-voz dos bombeiros.

Um homem que disse ser morador de um dos prédios disse a jornalistas no local que conseguiu escapar após ouvir um estalo. “Consegui escapar, mas teve gente que ficou para trás”, afirmou.

O desabamento ocorreu dias após o Rio de Janeiro ser atingido por chuvas recordes que provocaram diversos danos na mesma região dos prédios que desmoronaram. A cidade decretou estágio de crise na noite de segunda-feira devido às chuvas, que deixaram 10 mortos.

A comunidade da Muzema tem forte presença de milícias que controlam diversos negócios, incluindo construções de moradias ilegais e, em muitos casos, em condições precárias.

Vítima de desabamento

A Secretaria Municipal de Saúde informou que uma das vítimas do desabamento de dois prédios na comunidade da Muzema, na Zona Oeste da cidade do Rio de Janeiro, Dilma Rodrigues, foi internada no Hospital Municipal Lourenço Jorge com um ferimento no abdômen.

De acordo com a secretaria, Dilma está sendo submetida a uma cirurgia neste momento. O desabamento deixou dois mortos e pelo menos outras três pessoas feridas. Ainda não há informação sobre o estado de saúde delas.

A prefeitura informou que os prédios eram irregulares e que as obras foram interditadas e embargadas em novembro de 2018. Moradores dizem que os edifícios começaram a ser construídos há dois anos, e tinham cinco andares.

A comunidade da Muzema sofreu bastante com a chuva que atingiu a cidade nesta semana. As vias da região ainda têm muita lama, lixo, entulho e acúmulo de água em alguns pontos. Há também queda de barreiras.

A rua da entrada do condomínio Figueira foi destruída pela chuva. Muitos prédios estão em construção na região, que fica no pé do morro.

Um dos prédios vizinhos aos que desabaram foram interditados pela Defesa Civil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *