Descobridores da hepatite C recebem Nobel de Medicina

Arquivado em: Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 5 de outubro de 2020 as 10:11, por: CdB

Prêmio deste ano vai para trio de pesquisadores que conseguiu decifrar o vírus, responsável por 400 mil mortes por ano. Comitê destaca importância da pesquisa científica em tempos de pandemia.

Por Redação, com DW – de Estocolmo

O trio de pesquisadores Harvey Alter, Charles Rice e Michael Houghton foi agraciado nesta segunda-feira com o Prêmio Nobel de Medicina, pela descoberta do vírus da hepatite C, que mata cerca de 400 mil pessoas por ano.

Prêmio deste ano vai para trio de pesquisadores que conseguiu decifrar o vírus, responsável por 400 mil mortes por ano
Prêmio deste ano vai para trio de pesquisadores que conseguiu decifrar o vírus, responsável por 400 mil mortes por ano

Segundo o comitê responsável pelo prêmio, os três, Alter e Rice são americanos, e Houghton, britânico, foram escolhidos por sua para a luta contra a hepatite, “um grande problema de saúde global que causa cirrose e câncer de fígado”. A Organização Mundial da Saúde estima que, por ano, existam cerca de 70 milhões de infecções por hepatite C em todo o mundo.

Graças à descoberta dos três, testes de sangue altamente sensíveis para o vírus estão agora disponíveis. Eles eliminaram “essencialmente a hepatite pós-transfusão em muitas partes do mundo, melhorando em muito a saúde global”, disse o comitê Nobel. A descoberta também permitiu o rápido desenvolvimento de drogas antivirais direcionadas à hepatite C.

“Pela primeira vez na história, a doença pode agora ser curada, aumentando as esperanças de erradicar o vírus da hepatite C da população mundial”, disse o júri.

Antes do trabalho do trio, a descoberta dos vírus da hepatite A e B havia sido um passo importante, mas a maioria dos casos de hepatite transmitida pelo sangue permanecia inexplicável.

“A descoberta do vírus da hepatite C revelou a causa dos casos restantes de hepatite crônica e possibilitou testes de sangue e novos medicamentos que salvaram milhões de vidas”, disse o júri.

Alter foi creditado por seu trabalho pioneiro estudando a ocorrência de hepatite em pacientes que haviam recebido transfusões de sangue. Ele determinou que a doença não era hepatite A ou B.

Houghton pesquisou com base no trabalho de Alter para isolar a sequência genética do novo vírus.

Posteriormente, Rice completou o enigma usando a engenharia genética para provar que era somente a hepatite C que estava causando a doença dos pacientes.

Relevância em tempos de pandemia

O prêmio de medicina teve um significado especial neste ano, devido à pandemia de coronavírus, que pôs em evidência a importância que a pesquisa médica tem para a sociedade.

– A pandemia é uma grande crise para a humanidade, mas ilustra a importância da ciência – disse o diretor da Fundação Nobel, Lars Heikensten.

Não se esperava que nenhum prêmio fosse concedido este ano diretamente a um projeto ligado ao coronavírus. O motivo é que  pesquisa vencedora do Prêmio Nobel geralmente leva anos para ser verificada.

Mas o presidente do comitê de Medicina do Nobel, Patrik Ernfors, disse que é relativamente fácil ligar o prêmio desta segunda-feira à situação atual.

– A primeira coisa que você precisa fazer é identificar o vírus causador, e uma vez que isso tenha sido feito, esse é em si o ponto de partida para o desenvolvimento de medicamentos para tratar a doença e também para desenvolver vacinas. Portanto, a descoberta viral propriamente dita é um momento-chave – comentou.

O trio de pesquisadores agraciado neste ano compartilhará o prêmio de 10 milhões de coroas suecas (cerca de US$ 1,1 milhão).

Eles normalmente receberiam seu prêmio do rei Carl Gustaf 16º em uma cerimônia formal em Estocolmo no dia 10 de dezembro, aniversário da morte do cientista Alfred Nobel.

Mas a cerimônia presencial foi cancelada neste ano devido à pandemia do coronavírus, e será substituída por uma cerimônia televisionada mostrando os laureados recebendo os prêmios em seus países de origem.

Os laureados nos campos de física, química, literatura e paz serão anunciados nos próximos dias.