Desempenho da economia brasileira piora nos últimos anos

Arquivado em: Comércio, Indústria, Negócios, Serviços, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 30 de abril de 2021 as 17:48, por: CdB

O Brasil não adotou as políticas corretas em relação à pandemia, não fazendo um confinamento, com a população não sendo orientada a usar máscara, e esta “fraqueza do governo em alertar a sociedade” fez com que o país não tivesse o controle da doença, observou o economista Claudio Considera, co-autor do estudo.

Por Redação – de São Paulo

Estudo da Fundação Getulio Vargas (FGV) a partir de dados do Fundo Monetário Internacional (FMI) aponta que a economia brasileira terá o pior desempenho econômico entre as dez maiores economias mundiais. O relatório toma como critério a paridade de poder de compra (PPC), que reflete as diferenças de custo de vida entre os países. Em 2021, segundo o FMI, as sete maiores economias do planeta terão desempenho superior ao brasileiro, revela a FGV.

Ministro da Economia, Paulo Guedes tem se distanciado, cada vez mais, do discurso negacionista do presidente Bolsonaro (sem partido)
Ministro da Economia, Paulo Guedes tem se distanciado, cada vez mais, do discurso negacionista do presidente Bolsonaro (sem partido)

O Brasil recuou no ranking global do Produto Interno Bruto (PIB) per capita em 2020 e deve continuar perdendo posições nos próximos anos, segundo projeções do Fundo Monetário Internacional (FMI). ​Sobre o fato, a agência russa de notícias Sputnik Brasil entrevistou Claudio Considera, economista, pesquisador do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV) e coautor do estudo.

— As sete maiores economias do mundo terão um desempenho em 2021, segundo o Fundo Monetário Internacional, superior ao desempenho do Brasil. A pandemia atingiu a gente fortemente, tendo em vista que grande parte do PIB brasileiro vem do setor de serviços, que é um setor que exige uma interação muito grande entre as pessoas — afirmou o analista.

Critérios

Segundo Considera, o Brasil não adotou as políticas corretas em relação à pandemia, não fazendo um confinamento, com a população não sendo orientada a usar máscara, e esta “fraqueza do governo em alertar a sociedade” fez com que o país não tivesse o controle da doença. Além disso, disse Considera, a vacinação começou tarde, está em um ritmo muito lento e isso fará com que o processo de retomada do crescimento seja muito adiado.

O autor do estudo avalia que a atual posição do país, oitavo lugar, no ranking das maiores economias do mundo deve ser alterada para 12º ou 13º lugar, pois essas são as previsões que o FMI faz a respeito.

No atual critério do PPC, a China é a maior economia mundial, seguida por EUA, Índia, Japão, Alemanha, Rússia, Indonésia e Brasil. A série histórica do ranking PPC foi alterada por causa da revisão para cima do PIB brasileiro de 2018 e 2019, melhorando a colocação do país na lista, o que agora se reverte.