Desespero leva ao roubo de remédios e alimentos em igreja

Arquivado em: Destaque do Dia, Polícia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 23 de março de 2018 as 14:19, por: CdB

Em nota, o padre italiano Carmine Pascale, pároco do templo, confirmou o arrombamento e o furto, porém, disse “que não foi nada grave”

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro:

A violência no Rio de Janeiro não poupa nem a igreja católica. No dia anterior, ladrões arrombaram a igreja de São Judas Tadeu, no bairro de Icaraí, em Niterói, região metropolitana do Rio, e furtaram medicamentos, alimentos e dinheiro, cujo valor não foi revelado.

Ladrões furtam dinheiro, remédio e alimentos de igreja em Niterói

Em nota, o padre italiano Carmine Pascale, pároco do templo; confirmou o arrombamento e o furto, porém, disse “que não foi nada grave”. Ele informou que o caso foi registrado na polícia e; que a paróquia está funcionando normalmente. Agradeceu a preocupação dos fiéis e pediu orações.

São Judas Tadeu

São Judas Tadeu é padroeiro das causas impossíveis e a festa do santo se comemora no dia 28 de outubro. Nessa data, os fiéis fazem romarias e novenas em homenagem ao santo, considerado um dos mais venerados entre os católicos brasileiros.

Complexo da Maré

Considerado uma das regiões mais perigosas do Rio de Janeiro, o Complexo da Maré, na Zona Norte; vai ganhar um parque com 80 mil metros quadrados. O novo espaço de lazer terá quadras de esportes, ciclovia, área de recreação infantil, lago, quiosques de alimentação e teatro a céu aberto. Outras atrações previstas são oficina de inclusão digital e horta comunitária. A licitação do projeto está prevista para abril. O custo aproximado das obras será de R$ 100 milhões.

De acordo com o prefeito Marcelo Crivella, “o parque vai trazer valorização muito grande para a Maré, com áreas de convivência e o embelezamento do local”. Será, sobretudo, uma área de paz. Porque é disso que mais precisamos na Maré: paz”, disse.

Participação popular

Os moradores poderão ser consultados sobre as principais necessidades do Parque da Maré; para que não seja construído sem a participação da população. Crivella orientou seus assessores a colocar imagens do projeto na Clínica de Saúde da Família e em outros pontos da comunidade; para a população tomar conhecimento e opinar.

– A ideia é levar as informações à comunidade, para que ela participe. A participação dos moradores; indicando as principais necessidades, é que vai nos ajudar a concluir o projeto – disse o prefeito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *