Dinamarca suspende vacina da AstraZeneca após relato de trombose

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 11 de março de 2021 as 10:38, por: CdB

 

Após caso de trombose ser considerado como provável efeito colateral da vacina contra a covid-19 da companhia AstraZeneca nos Países Baixos, Dinamarca decide interromper uso do imunizante.

Por Redação, com Sputnik – de Copenhague

Após caso de trombose ser considerado como provável efeito colateral da vacina contra a covid-19 da companhia AstraZeneca nos Países Baixos, Dinamarca decide interromper uso do imunizante.

Dinamarca interrompe vacinação com imunizante da AstraZeneca após relato de trombose

A decisão foi publicada em nota pela Autoridade da Saúde da Dinamarca:

“A Autoridade da Saúde, como medida de precaução interrompeu o uso da vacina contra a covid-19 da AstraZeneca.”

Desta forma, a interrupção do uso da vacina durará pelo menos duas semanas no país.

Contudo, o chefe da Autoridade da Saúde dinamarquesa afirmou que seu país não negou de forma total o uso do imunizante.

– É importante ressaltar que não rejeitamos a vacina da AstraZeneca, mas a colocamos em pausa. Existem documentos confiáveis que comprovam que esta vacina é segura e eficaz. Mas nós devemos reagir às informações de possíveis efeitos colaterais sérios – Soren Brostrom.

Efeitos colaterais

Nesta quinta-feira já tinha sido comunicado pelo canal de TV holandês NOS que o centro medicinal Lareb, responsável por identificar efeitos colaterais de medicamentos nos Países Baixos, recebeu a informação de que o imunizante teria causado trombose em um dos vacinados.

Embora o cidadão não tenha tido necessidade de ser hospitalizado, uma investigação foi aberta para apurar os fatos.

Itália

A Agência Italiana de Medicamentos (Aifa) anunciou nesta quinta-feira  a suspensão do uso de um lote de vacinas anticovid da multinacional anglo-sueca AstraZeneca.

A decisão chega poucos dias depois de a Áustria ter paralisado a utilização do mesmo lote, identificado como ABV2856, em função da morte de uma enfermeira vacinada de 49 anos por “graves problemas de coagulação sanguínea”.

Além de Itália e Áustria, os governos de Estônia, Letônia, Lituânia e Luxemburgo também suspenderam a aplicação desse lote, enquanto Dinamarca, Noruega e Islândia paralisaram a utilização de todas as vacinas anticovid da AstraZeneca.

Por meio de um comunicado, a Aifa diz que sua decisão foi tomada por “precaução”, após o relato de “alguns eventos adversos graves em concomitância com a administração de doses do lote ABV2856 da vacina anticovid-19 da AstraZeneca”.

No entanto, a agência faz a ressalva de que, até o momento, “não foi estabelecido qualquer nexo de casualidade entre a administração da vacina e tais eventos”. “A Aifa está efetuando todas as checagens do caso, adquirindo documentações clínicas em estreita colaboração com as autoridades competentes”, acrescenta.

O Instituto Superior da Saúde (ISS), órgão técnico-científico do governo italiano, vai analisar amostras do lote em questão. A AstraZeneca já é alvo de críticas na União Europeia por causa dos atrasos nas entregas de vacinas, porém tanto a empresa quanto a agência de medicamentos da UE asseguraram sobre a segurança do imunizante.

Os casos

Os casos que levaram à suspensão do lote ABV2856 na Áustria são de uma enfermeira que morreu de múltiplas tromboses 10 dias após a vacinação e o de uma pessoa internada com embolia pulmonar também depois de ter sido imunizada.

“Até o momento, não há indicação de que a vacinação tenha causado essas condições, que não são listadas como efeitos colaterais dessa vacina”, diz um comunicado divulgado na última quarta-feira pela Agência Europeia de Medicamentos (EMA).

Segundo o órgão, o lote ABV2856 foi distribuído para 17 Estados-membros e contempla 1 milhão de doses. Ainda assim, os casos de coagulação sanguínea estão sendo investigados pela EMA e pelas agências sanitárias nacionais.

“A informação disponível até agora indica que o número de eventos de trombose e embolia nas pessoas vacinadas não é maior do que na população em geral”, diz a EMA, acrescentando que foram detectados 22 casos entre 3 milhões de indivíduos imunizados com a fórmula da AstraZeneca no Espaço Econômico Europeu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code