Diplomatas russos expulsos por May deixam Reino Unido

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 20 de março de 2018 as 11:43, por: CdB

Segundo imagens de televisão, os diplomatas foram vistos deixando a delegação com malas, crianças e também alguns animais de estimação

Por Redação, com EFE – de Londres:

Os 23 diplomatas russos expulsos pelo governo britânico devido ao envenenamento do ex-espião Sergei Skripal e de sua filha Yulia deixaram nesta terça-feira o Reino Unido, ao terminar o prazo dado pelas autoridades do país.

Ao fim do prazo, os diplomatas se despediram de seus colegas de embaixada

Na semana passada, a primeira-ministra britânica, Theresa May, comunicou, na Câmara dos Comuns do Parlamento; a expulsão dos funcionários em represália pelo envenenamento dos Skripal com um agente nervoso de fabricação russa.

Ao fim do prazo, os diplomatas se despediram de seus colegas de embaixada; segundo imagens divulgadas pelos veículos de imprensa.

Moscou negou envolvimento no envenenamento do ex-espião e de sua filha; ocorrido no último dia 4 de março em Salisbury, no sul da Inglaterra, pelo qual ambos ainda permanecem hospitalizados em estado grave.

Segundo imagens de televisão, os diplomatas foram vistos deixando a delegação com malas; crianças e também alguns animais de estimação.

Jeremy Corbyn

O líder trabalhista britânico, Jeremy Corbyn; defendeu a necessidade de continuar trabalhando com a Rússia; apesar de tudo indicar que esse país foi responsável pelo ataque ao ex-espião.

Em declarações à Radio 4 da BBC, o líder do primeiro partido da oposição britânica defendeu a importância de continuar dialogando com o presidente russo, Vladimir Putin, após as críticas que recebeu nos últimos dias, tanto do governo quanto de alguns deputados trabalhistas, por não ter culpado abertamente a Rússia pelo envenenamento dos Skripal.

Na semana passada, Corbyn pediu a May que atue “com calma” e tenha uma atitude “comedida”, depois que ela anunciou a expulsão dos diplomatas russos do Reino Unido.

Londres identificou a substância utilizada em Salisbury como um agente nervoso do tipo Novichok, de fabricação russa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *