Dirigente da Fundação Palmares gera nova polêmica ao negar suas origens

Arquivado em: Cultura, Destaque do Dia, Últimas Notícias
Publicado domingo, 21 de junho de 2020 as 13:26, por: CdB

Na mensagem publicada nas redes sociais, Camargo diz ainda que a cor preta da pele é apenas um “acidente genético, sem relevância humana“.

Por Redação – de Brasília

O presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, inimigo declarado do movimento negro, voltou a causar polêmica ao negar suas origens africanas, nas redes sociais: “Não tenho nada a ver com a África”. Seguidor fiel do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), Camargo persegue os principais expoentes da luta antirracista e já classificou o movimento negro como “escória maldita”.

O presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo
O presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, é um fiel seguidor do presidente Bolsonaro (sem partido)

Adepto da política de anti-isolamento, Camargo pediu para que a família não “tome a vacina chinesa do Doria“, que está sendo desenvolvida, na tentativa de deter o novo coronavírus. Na mensagem da noite passada, ele diz ainda que a cor preta da pele é um “acidente genético, sem relevância humana“.

Em face dos pronunciamentos abertamente racistas, Camargo é alvo de protestos e de ações judiciais contra sua permanência na Fundação Palmares. A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) divulgou, recentemente, nota de protesto contra o dirigente.

“A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação – CNTE, entidade representativa dos profissionais da educação básica do setor público brasileiro, torna público o seu repúdio veemente contra Sergio Camargo, que ainda ocupa a Presidência da Fundação Palmares, mesmo depois das revelações de um áudio de uma conversa sua com dois assessores. Escandalosas, vexatórias e repugnantes, as declarações de um gestor que ocupa esse cargo público estarrecem a todos/as nós, especialmente quando sua principal atribuição institucional seria a de fomentar a defesa das negras e negros de nosso país!

Calendário

“Ao classificar o movimento negro do país como “escória maldita”, que abriga “vagabundos”, além de classificar Zumbi dos Palmares, o maior líder antiescravagista das Américas, orgulho da luta de todos/as os/as brasileiros/as, com xingamentos de baixo calão, esse cidadão não merece, definitivamente, ocupar o cargo que ocupa. Outras atrocidades também foram ditas pelo dito sujeito, que envergonha a todos/as, xingando e ameaçando pôr fim às comemorações oficiais do Dia Nacional da Consciência Negra, data já consolidada em nosso calendário oficial no dia 20 de novembro.

“O áudio da reunião foi encaminhado à Procuradoria da República no Distrito Federal, juntamente com um pedido para que Sergio Camargo responda na Justiça por improbidade administrativa. A exoneração desse senhor da Presidência Fundação Palmares é urgente e nossa pressão é para que isso ocorra o mais rápido possível. Não é tolerável mais conviver com essa pessoa no comando de um organismo governamental, conquista do povo negro deste país em anos de luta!

“Os/as educadores/as brasileiros/as, para além de repudiar as declarações de Sergio Camargo, não sossegarão até que este cidadão seja afastado do cargo que ora ocupa e que ele seja devidamente responsabilizado judicialmente pelas declarações odiosas que proferiu nessa reunião, mas que, recorrentemente, reverbera também em situações públicas. Pelo afastamento imediato de Sergio Camargo da Presidência da Fundação Palmares! Pela responsabilização judicial de suas declarações! Vidas negras importam!

“Brasília, 08 de junho de 2020 – Direção Executiva da CNTE”.