Dólar em R$ 6,00 terá impacto pesado na economia, avalia analista

Arquivado em: Comércio, Indústria, Negócios, Serviços, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 13 de maio de 2020 as 14:43, por: CdB

Para o presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (ABEFIN), o empresário Reinaldo Domingos, a escalada da moeda norte-americana, “pode ter certeza, terá impacto na vida de todos”. Turistas, investidores e empresários tendem a perceber a pressão no mercado mas, certamente, “quem será mais prejudicada é a população”, acrescentou.

Por Redação, com ACS – de São Paulo

O dólar, na véspera, já sinalizava que poderia chegar ao teto de R$ 6, atingindo os níveis mais altos da era do Real. Entre os principais fatores dessa alta estão a crise da covid-19, a perspectiva de uma recessão mundial e a tumultuada cena política interna.

Moedas emergentes pares do real operavam mistas, com o rand sul-africano registrando perdas e o peso mexicano se valorizando contra o dólar
A cotação da moeda norte-americana tem aumentado muito, em face das condições externas e a cena política do governo Bolsonaro

Para o presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (ABEFIN), o empresário Reinaldo Domingos, a escalada da moeda norte-americana, “pode ter certeza, terá impacto na vida de todos”, afirmou. Turistas, investidores e empresários tendem a perceber a pressão no mercado mas, “certamente, quem será mais prejudicada é a população em geral, que enfrentará muitas altas de preços”, acrescentou.

— O dólar chegará aos R$ 6,00 e a população brasileira no geral será atingida. O impacto estará no aumento de produtos importados ou que dependem de peças ou matérias-primas importadas, encarecendo-os substancialmente e, consequentemente, diminuindo nosso poder de compra — explicou Domingos.

Despesas

Um exemplo de aumento é o relacionado ao trigo, que é em grande parte importado, o que irá refletir no aumento no preço do pãozinho da padaria, bolos e diversos produtos do dia a dia da população.

Embora não seja motivo para pânico, há muitos cuidados a serem tomados nesse período. Por isso, o melhor a fazer é reunir a família, rever os custos diários e mensais, reduzir os excessos e supérfluos e fazer algo que parece óbvio, mas muita gente não consegue: garantir que o ganho sempre seja maior que as despesas.

Efeito elástico

Reinaldo Domingos alerta para uma questão que ele chama de efeito elástico da alta de preços.

— “Um ponto que alerto é que mesmo com a cotação do dólar diminuindo, o mesmo não deve acontecer com o preço. Quando observamos esses tipos de aumentos, observamos que depois, mesmo com a cotação voltando aos valores antigos, o mesmo não acontece com os preços, que podem até ter uma redução, mas não na mesma proporção — conclui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *