Dólar passa por ajuste e tem leve alta ante moeda brasileira

Arquivado em: Negócios, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 23 de outubro de 2019 as 13:37, por: CdB

Na véspera, o dólar à vista encerrou em queda de 1,33%, a R$ 4,0757 na venda, maior queda ante o real em quase sete semanas.

Por Redação, com Reuters – de São Paulo

O dólar operava em leve alta contra o real nesta quarta-feira, em meio a ajustes após registrar a maior queda ante o real em quase sete semanas na véspera, com agentes do mercado monitorando a votação dos destaques da reforma da Previdência no Senado nesta sessão.

Às 10:29, o dólar avançava 0,19%, a R$ 4,0833 na venda. Na B3, o dólar futuro tinha leve queda de 0,06%, a R$ 4,0840.
Às 10:29, o dólar avançava 0,19%, a R$ 4,0833 na venda. Na B3, o dólar futuro tinha leve queda de 0,06%, a R$ 4,0840.

Às 10:29, o dólar avançava 0,19%, a R$ 4,0833 na venda. Na B3, o dólar futuro tinha leve queda de 0,06%, a R$ 4,0840. Na véspera, o dólar à vista encerrou em queda de 1,33%, a R$ 4,0757 na venda, maior queda ante o real em quase sete semanas.

– O mercado está basicamente corrigindo o movimento exagerado de ontem. O cenário doméstico é estável e a tendência é que a moeda fique em patamares moderados até o final da sessão – afirmou Jefferson Laatus, sócio fundador do Grupo Laatus.

O Senado encerrou na terça-feira a sessão de votação em segundo turno da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da reforma da Previdência sem concluir a análise de destaques que poderiam alterar o texto, diante do risco de derrota na votação de uma emenda que, se aprovada, poderia ter um impacto de até 70 bilhões de reais em uma década.

Os parlamentares devem retomar a votação nesta quarta-feira e a expectativa é que a proposta seja promulgada no dia 5, 12 ou 19 de novembro.

Ainda na cena doméstica, também permanecia no radar a retomada nesta quarta do julgamento no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a validade da prisão após condenação em segunda instância.

Nesta sessão, o Banco Central vendeu 9.000 contratos de swap cambial reverso dos 10.500 ofertados, e US$ 450 milhões em moeda spot de oferta de até US$ 525 milhões. Adicionalmente, a autarquia também ofertará contratos de swap tradicional, para rolagem do vencimento dezembro de 2019.

No cenário externo, as atenções se mantinham voltadas para os desenvolvimentos do acordo do Brexit, com os líderes da União Europeia estudando o pedido de adiamento da separação do Reino Unido feito pelo governo britânico.

As moedas emergentes pares do real, como rand sul-africano e peso mexicano, se desvalorizavam contra o dólar nesta quarta, enquanto o índice do dólar se mantinha estável.

Ibovespa

O Ibovespa mantinha o viés positivo nesta quarta-feira, renovando máximas históricas e se aproximando de 108 mil pontos, no terceiro pregão consecutivo de alta, com as ações da WEG liderando os ganhos após resultado trimestral agradar analistas, com crescimento nas margens.

Às 12:04, o Ibovespa subia 0,44%, a 107.853,16 pontos. Na máxima até o momento, chegou a 107.958,82 pontos. O volume financeiro somava R$ 5,55 bilhões.

A trajetória de alta também encontrava respaldo na aprovação do texto-base da reforma da Previdência na noite da véspera, com previsão de economia de cerca de R$ 800 bilhões em 10 anos, além de acordo de senadores para concluir a votação nesta quarta-feira, sem efeito financeiro na proposta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *