Dólar registra leve alta ante real

Arquivado em: Negócios, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 17 de setembro de 2019 as 12:48, por: CdB

Por volta de 9h10, o dólar à vista BRBY subia 0,17%, a R$ 4,0985 na venda.

Por Redação, com Reuters – de São Paulo

O dólar oscilava em leve alta ante o real nos primeiros negócios desta terça-feira, num pregão de forma geral de ganhos para a moeda norte-americana no exterior, em meio ainda aos efeitos da disparada dos preços do petróleo na véspera e à crescente ansiedade quanto às decisões de política monetária nos EUA e no Brasil —ambas na quarta-feira.

Por volta de 9h10, a moeda norte-americana à vista BRBY subia 0,17%, a R$ 4,0985 na venda

Por volta de 9h10, o dólar à vista BRBY subia 0,17%, a R$ 4,0985 na venda. Na B3, o dólar futuro DOLc1 tinha ganho de 0,37%, a R$ 4,0995.

Petrobras enfraquece Ibovespa

O Ibovespa recuava nesta terça-feira, com ações da Petrobras entre as principais pressões de baixas, na esteira da queda do petróleo no exterior e decisão da companhia sobre preço, enquanto agentes financeiros aguardam decisões de política monetária nos Estados Unidos e Brasil na quarta-feira.

Às 11:00, o Ibovespa caía 0,14 %, a 103.534,84 pontos. O volume financeiro somava R$ 2,262 bilhões.

A equipe da corretora Mirae Asset destacou que o mercado financeiro global começou a terça-feira em ritmo de cautela, ainda avaliando os efeitos dos ataques na Arábia Saudita e na expectativa do desfecho da reunião do banco central dos Estados Unidos, que começa nesta terça-feira e termina na quarta-feira.

O Fed centraliza os holofotes em uma semana marcada por várias decisões de política monetária no mundo, e a expectativa é de que anuncie novo corte na taxa básica de juros norte-americana. Após o fechamento na quarta, será a vez de o BC brasileiro também divulgar um esperado corte na Selic.

O analista Ilan Arbetman, da Ativa Investimentos, também chama a atenção para a visita do vice-ministro das Finanças da China, Liao Min, a Washington nesta semana, que deve preparar o terreno para o encontro, em outubro, entre as duas maiores economias do mundo para nova rodada de negociações.

Wall Street recua

Os principais índices de Wall Street recuavam nesta terça-feira, com uma queda nos preços do petróleo prejudicando o setor de energia, enquanto os investidores evitavam fazer grandes apostas antes da reunião de política monetária de dois dias do Federal Reserve, em que é amplamente esperado um corte na taxa de juros.

Às 12:04 (horário de Brasília), o índice Dow Jones caía 0,11%, a 27.048 pontos, enquanto o S&P 500 perdia 0,038026%, a 2.997 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq recuava 0,11%, a 8.144 pontos.

O índice de energia caía 1,59% e liderava as perdas no S&P 500 depois que fontes disseram à Reuters que a Arábia Saudita estava perto de restaurar 70% da produção de petróleo perdida após ataques de fim de semana à sua maior refinaria.

O setor registrou seu melhor aumento diário desde janeiro na segunda-feira.

O Fed concluirá sua reunião de política monetária na quarta-feira, com os operadores precificando no momento 66,8% de chance de um corte de 0,25 ponto-percentual pelo banco central dos Estados Unidos, ante uma previsão de 88,8% de chance na sexta-feira.

– Não vimos pânico sobre o que aconteceu durante o fim de semana. Acho que o Fed continuará com um corte de 0,25 ponto percentual, mesmo após o ataque na Arábia Saudita – disse Peter Cardillo, economista-chefe de mercado da Spartan Capital Securities.

Desde o último corte na taxa de juros, em julho, os dados econômicos dos EUA mostraram sinais contraditórios sobre o cenário doméstico. Embora as fortes vendas no varejo e o crescimento dos salários tenham reforçado a confiança do consumidor, uma prolongada guerra comercial com a China pesou no sentimento da manufatura e dos negócios.

As negociações entre os Estados Unidos e a China devem ser retomadas na quinta-feira, mas espera-se que qualquer acordo entre os dois lados seja uma correção superficial no atual estágio da guerra comercial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *