Domingos de Oliveira morre, no Rio, aos 82 anos

Arquivado em: Cultura, Destaque do Dia, Últimas Notícias
Publicado sábado, 23 de março de 2019 as 17:15, por: CdB

Familiares disseram aos jornalistas que chegaram a chamar a ambulância, mas era tarde demais e a condição clínica era irreversível.

 

Por Redação – do Rio de Janeiro

 

O cineasta Domingos de Oliveira morreu, aos 82 anos. Autor, diretor, dramaturgo e ator com vasta produção no cinema — são de sua autoria filmes como “Todas as mulheres do mundo” (1966), “Separações” (2002) e “Barata Ribeiro, 716” (2016) —, o artista teve uma crise de pressão, em casa, seguida por intensa falta de ar e uma parada respiratória.

O cineasta Domingos Oliveira deixa um legado ao cinema brasileiro
O cineasta Domingos Oliveira deixa um legado ao cinema brasileiro

Familiares disseram aos jornalistas que chegaram a chamar a ambulância, mas era tarde demais e a condição clínica era irreversível. O velório acontece, ainda neste sábado, no Planetário da Gávea, na Zona Sul do Rio.

Caminho das artes

Presidente autodeclarado do Brasil, o ator José de Abreu lamentou a morte do diretor.

“Meu Deus, morreu Domingos de Oliveira! RIP meu amigo”, escreveu ele, em uma rede social.

Um dos pilares do cinema, teatro e televisão brasileiros, Domingos Oliveira chegou a pensar na carreira de engenheiro elétrico, na qual se formou. Mas, depois de um curso na escola norte-americana de teatro Actor’s Studio, a vida seguiu o caminho da arte, trilhado desde a escola.

Aos 12 anos, interpretou um cardeal português na peça “A ceia dos cardeais”, de Júlio Dantas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *