Dupla norte-coreana de patinação encanta nos Jogos mesmo sem medalha

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Esportes Olímpicos, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018 as 12:13, por: CdB

Ryom e Kim, os únicos atletas norte-coreanos a se classificarem formalmente para os Jogos, abraçaram seus treinadores depois de sua apresentação de patinação artística

Por Redação, com Reuters – de Seul:

A dupla norte-coreana Ryom Tae Ok e Kim Ju Sik encerrou sua aventura olímpica na Coreia do Sul nesta quinta-feira, cativando a plateia local mesmo sem ter conquistado medalha.

A dupla norte-coreana Ryom Tae Ok e Kim Ju Sik encerrou sua aventura olímpica na Coreia do Sul nesta quinta-feira

A dupla não tinha grande esperança de subir no pódio na Olimpíada de Inverno de Pyeongchang; mas empolgou os espectadores, em um símbolo da reaproximação que o esporte está proporcionando às duas Coreias no evento.

Ryom e Kim, os únicos atletas norte-coreanos a se classificarem formalmente para os Jogos; abraçaram seus treinadores depois de sua apresentação de patinação artística diante de um público entusiasmado e conseguiram 124,23 pontos; sua melhor marca pessoal. Ryom, de 19 anos, chegou a chorar.

– Eu estava muito nervoso, mas assim que entrei no ringue vi a torcida norte-coreana e norte-coreanos juntando os corações e torcendo juntos – disse Kim, de 25 anos, em comentários televisionados.

– Eles realmente torceram por mim, e isso me incentivou muito.

Um grupo de torcedores norte-coreanos bradou os nomes dos patinadores enquanto eles se aqueciam no gelo; acenando com bandeiras de seu país, e a plateia majoritariamente sul-coreana aplaudiu e vibrou cada vez; que a dupla executava um elemento de seu programa.

Ryom e Kim estabeleceram três recordes pessoais em Pyeongchang.

– Esta pode ser a última vez em que vejo norte-coreanos competindo em uma Olimpíada na Coreia do Sul – disse Lee Sae-rom; espectador sul-coreano presente na Arena de Gelo de Gangneung Ice.

– Minha filha é tão jovem que nem sabe que as duas Coreias estão divididas; mas espero que sinta que deveriam voltar a se unir através do esporte.

Casal suíço percorre 17 mil km de bicicleta

Um ano e 17 mil quilômetros mais tarde, um casal suíço chegou a Pyeongchang nesta semana para ver o filho competir na Olimpíada de Inverno.

O pai e a madrasta do esquiador suíço Mischa Gasser partiram de sua casa em Olten, 70 quilômetros a oeste de Zurique, em fevereiro do ano passado para cruzar o mundo de bicicleta.

Eles chegaram à sede sul-coreana dos Jogos na terça-feira, depois de uma jornada que os levou a percorrer 20 países.

– Chegar aqui e ver meu filho esperando por nós, ficamos realmente comovidos. Fiquei sem palavras –  disse Guido Huwiler, de 55 anos, à agência inglesa de notícias Reuters Television.

Huwiler, que exibia uma barba comprida, e Rita Ruttimann, de 57 anos, disseram que pedalar todos os dias foi difícil.

Seu maior desafio foi percorrer a estrada Pamir, que pode chegar a mais de 4 mil metros de altitude ao cruzar vários países da Ásia Central.

– Ficamos realmente cansados depois. Ficamos acabados, e tivemos que nos recuperar durante duas ou três semanas – disse.

Quando o casal chegou à fronteira chinesa, Huwiler disse que lhe recusaram um visto por causa de sua barba. Ele se recusou a cortá-la, mas ambos esperam viajar pela China mais adiante em sua jornada.

Na Coreia do Sul, o casal acampou a céu aberto sob temperaturas abaixo de zero a caminho do Parque Phoenix de Pyeongchang, o cenário da competição do filho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *