Economia da China se recupera, com estímulos do governo

Arquivado em: Comércio, Indústria, Negócios, Serviços, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 16 de setembro de 2022 as 16:37, por: CdB

O aumento das vendas no varejo decorreu em parte de uma base de comparação menor em relação ao ano anterior, e também de um impulso nas vendas de carros depois que Pequim ofereceu subsídios aos compradores de veículos elétricos. A produção industrial foi apoiada por um salto na geração de energia durante a onda de calor de agosto.

Por Redação, com Xinhua – de Pequim

A economia da China mostra sinais de recuperação em resposta às medidas de estímulo do governo, mas a queda do mercado imobiliário e os surtos de Covid continuam a pesar nas perspectivas para o país. Produção industrial, vendas no varejo e investimentos em ativos fixos todos cresceram mais rápido do que os economistas esperavam no mês passado. O desemprego urbano caiu para 5,3%, enquanto o desemprego entre jovens caiu de um nível recorde.

China
Pico acentuado de temperatura atrapalhou a produção industrial chinês

O aumento das vendas no varejo decorreu em parte de uma base de comparação menor em relação ao ano anterior, e também de um impulso nas vendas de carros depois que Pequim ofereceu subsídios aos compradores de veículos elétricos. A produção industrial foi apoiada por um salto na geração de energia durante a onda de calor de agosto, uma recuperação que dificilmente será sustentada.

Alívio

Apesar dos sinais de melhora, a recuperação continua frágil à medida que os surtos de Covid se espalham pelo país e o governo aperta restrições para conter infecções antes do congresso de liderança do Partido Comunista no próximo mês.

A crise imobiliário também não mostra sinais de alívio. Os preços de imóveis recuaram pelo 12º mês consecutivo, e a contração em agosto foi maior do que em julho, segundo relatório também divulgado na sexta-feira.

— Embora os dados de hoje sejam melhores do que o esperado, é improvável que mude o pessimismo predominante em relação à China, dados os vários ventos contrários em andamento, incluindo Covid Zero, crise imobiliária e a falta de medidas políticas decisivas antes do congresso do Partido — concluiu Larry Hu, economista-chefe para China do Macquarie Group.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *