Economista estima que moeda do Brasil esteja subvalorizada em cerca de 20%

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado terça-feira, 6 de maio de 2003 as 17:01, por: CdB

O diretor de pesquisa e de estratégia para mercados emergentes do banco Goldman Sachs, Paulo Leme, estima uma retomada de depreciação nominal do câmbio, embora trace um cenário de apreciação em termos reais, ao estimar que a moeda brasileira esteja subvalorizada em cerca de 20% numa base ponderada ao comércio internacional do País.

Num horizonte de três meses, Leme projeta o câmbio a R$ 3,15 por dólar. Em seis meses, sua estimativa é de um câmbio a R$ 3,30 por dólar, e de R$ 3,50 por dólar para um prazo de doze meses.

– Estimo essa depreciação nominal do câmbio porque o cenário da conta de capitais não está consolidado, isto é, a conta de capitais ainda não é superavitária. Ainda que haja uma recuperação dos fluxos de dívida, ou seja, via captação com bônus, isso está sendo corroído pela queda expressiva no volume de investimentos diretos -, explicou Leme.

Em termos reais, Leme acredita que a moeda brasileira se aprecie em razão de a taxa de inflação continuar elevada. Leme classifica como prematura e pouco construtiva a discussão hoje no Brasil se o governo deveria ou não intervir no mercado cambial para encontrar um nível adequado para a taxa de câmbio. De acordo com ele, o câmbio não pode ser visto como uma panacéia para os problemas do setor exportador brasileiro.