Eduardo Bertoni condena assassinato de jornalista hondurenho

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado terça-feira, 2 de dezembro de 2003 as 01:03, por: CdB

O Relator Especial para a Liberdade de Expressão da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) da OEA, Eduardo Bertoni, condenou na última segunda-feira o assassinato do jornalista hondurenho Germán Antonio Rivas e pediu uma investigação do caso.

O escritório de Bertoni emitiu um comunicado no qual estimula às autoridades a continuar com as investigações para esclarecer os fatos, sancionar aos responsáveis e proteger ‘a todos os comunicadores sociais para que possam cumprir com sua valiosa tarefa de informar a sociedade’.

Rivas morreu no dia 26 de novembro depois de receber um tiro quando chegava na sede da Corporação Maya Visión (Canal 7), da qual era gerente diretor, em Santa Rosa de Copán, no oeste de Honduras.

Seu assassinato ‘poderia estar relacionado com investigações e denúncias sobre assuntos de interesse público que Rivas difundia em seu noticiário’, assinala o comunicado de dito escritório da Organização dos Estados Americanos (OEA).

Rivas tinha informado de ameaças e no dia 24 de fevereiro tinha saído ileso de outro atentado, quando desconhecidos lhe dispararam atingindo seu veículo.

Até agora não existe uma versão oficial sobre os possíveis motivos dos assassinos. No entanto, diversas fontes apontaram que o jornalista teria sido assassinado por denunciar a destruição ambiental que causa uma empresa minerária na região, assim como o contrabando de café para Guatemala.

Segundo o comunicado, ‘as agressões contra jornalistas têm como objetivo eliminar àqueles que investigam abusos e irregularidades’ e são ‘uma ferramenta de intimidação dirigida contra todas aquelas pessoas que fazem trabalhos de pesquisa’.