Eduardo Paes pretende comprar 3,2 milhões de doses da CoronaVac

Arquivado em: Destaque do Dia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 8 de janeiro de 2021 as 13:36, por: CdB

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, assumiu compromisso nesta sexta-feira de iniciar a vacinação contra o coronavírus na cidade junto com o Estado de São Paulo.  Segundo Paes, a prefeitura está negociando a compra de 3,2 milhões de doses do imunizante. 

Por Redação, com Sputnik – do Rio de Janeiro

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, assumiu compromisso nesta sexta-feira de iniciar a vacinação contra o coronavírus na cidade junto com o Estado de São Paulo.

Paes pretende comprar 3,2 milhões de doses da CoronaVac e iniciar vacinação 25 de janeiro
Paes pretende comprar 3,2 milhões de doses da CoronaVac e iniciar vacinação 25 de janeiro

Segundo o governador de São Paulo, João Doria, a imunização no estado vai ser iniciada no dia 25 de janeiro. O Anvisa recebeu nesta sexta-feira o pedido formal para registro emergencial da CoronaVac, produzida pelo laboratório chinês Sinovac e o Instituto Butantan.

Segundo Paes, a prefeitura do Rio está negociando a compra de 3,2 milhões de doses do imunizante.

– Estamos caminhando para até o fim deste mês começar a vacinação. Temos um compromisso para comprar 3,2 milhões de doses. Estamos trabalhando para começar a vacinação no mesmo dia que São Paulo – afirmou o prefeito, segundo publicado pelo portal G1.

‘Não atrase nenhum dia’

Na quinta-feira, o governo do Estado de São Paulo anunciou que a CoronaVac apresentou eficácia de 78% em casos leves da covid-19. Para casos moderados e graves, a eficácia foi de 100%.

Após o recebimento do pedido para uso emergencial, a Anvisa tem 10 dias para fazer a análise de dados e responder a solicitação. A agência informou que já começou a triagem e análise da documentação.

Segundo o Secretário de Saúde, Daniel Soranz, afirmou que o Rio de Janeiro terá 450 pontos de vacinação. Ele vai se reunir com representantes do Instituto Butantan para discutir o acordo de compra.

– Todo o planejamento é para que o Rio de Janeiro não atrase nenhum dia na sua imunização – disse Soranz.