‘El Hombre’ assume direção do PCC e garante futuro socialista aos cubanos

Arquivado em: América Latina, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 21 de abril de 2021 as 15:46, por: CdB

Miguel Díaz-Canel, cujo nome completo é Miguel Mario Díaz-Canel Bermúdez, é o 17º presidente daquele país, eleito em 19 de julho de 2018 também após renúncia de Raúl Castro. Fez carreira no partido, já tendo ocupado a vice-presidência do Conselho de Ministros para a Ciência, Educação, Esportes e Cultura.

Por Redação, com BdF – de Havana

Presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel foi eleito primeiro-secretário do Partido Comunista de Cuba (PCC), durante o VIII Congresso que ore se encerra. Días-Canel assume o lugar de Raúl Castro que, prestes a completar 90 anos (em junho), renunciou na sexta-feira ao cargo que exercia desde 2011, após substituir o irmão mais velho Fidel Castro. Além de Raúl, José Ramón Machado Ventura e Ramiro Valdés, líderes históricos do PCC, também deixaram os cargos.

Díaz-Canel faz um giro pela Ásia, com visitas à Coreia do Norte e Vietnã
Díaz-Canel assume a Secretaria-Geral do PCC e exerce a Presidência de seu país, Cuba, onde assegura a permanência do socialismo

Miguel Díaz-Canel, cujo nome completo é Miguel Mario Díaz-Canel Bermúdez, é o 17º presidente daquele país, eleito em 19 de julho de 2018 também após renúncia de Raúl Castro. Fez carreira no partido, já tendo ocupado a vice-presidência do Conselho de Ministros para a Ciência, Educação, Esportes e Cultura. Ele completou 61 anos nesta terça-feira.

Chamado de  “El Hombre” pelos cubanos devido à proximidade com o povo, ganhou popularidade no período em que foi primeiro secretário do partido na região de Villa Clara e pela atuação como vice-presidente nas catástrofes seguidas a furacões como o Matthew, em 2016.

Villa Clara

Nascido em 1960, é o primeiro líder máximo do PCC não pertencente à família Castro e também o primeiro nascido após a revolução cubana. Assim, desponta como símbolo maior de um processo de renovação das gerações preparadas para seguir liderando o país dentro do modelo socialista implantado pelo levante liderado por Fidel, na década de 50.

Sendo assim, Cuba não deve passar por nenhuma mudança na estrutura política ou econômica. A ilha caribenha seguirá unipartidária e com a economia planificada com o Estado no comando, com espaço aberto para o setor privado apenas como um complemento cooperativo. Miguel Díaz-Canel nasceu em 20 de abril de 1960 na província de Villa Clara, município de Placetas e é engenheiro eletrônico. Tem dois filhos de um primeiro casamento e atualmente é casado com Lis Cuesta, professora universitária de cultura cubana.

Carreira

Ao final dos anos 1980 entrou para a União de Jovens Comunistas e, de 1994 a 2003, passou a ser secretário do partido na província onde nasceu, a maior autoridade política local. Nesse período, destacou-se pela simplicidade e por reviver um centro cultural muito frequentado por homossexuais num momento em que ainda havia preconceitos oficiais contra eles. Também promoveu festivais de rock, estilo musical até então pouco aceito no país.

A seguir, chamando a atenção de Raúl Castro, foi enviado como secretário do PCC à província de Holguín. Em 2009, já em Havana, foi alçado a titular do Ministério da Educação; três anos mais tarde chegou à vice-presidência do Conselho de Ministros e, em 2013, acumulou o cargo de vice-presidente do Conselho de Estado, cargo que ocupou até chegar à Presidência de Cuba.