Eleição de 2016: partido Democrata processa Rússia e campanha de Trump

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 20 de abril de 2018 as 14:29, por: CdB

O partido alega na ação federal impetrada junto a um tribunal federal de Manhattan que autoridades da campanha de Trump conspiraram com o governo russo e a agência militar de espionagem da Rússia para prejudicar a candidata presidencial democrata, Hillary Clinton

Por Redação, com Reuters – de Zurique:

O Partido Democrata dos Estados Unidos ingressou com uma ação judicial contra a Rússia, a campanha do presidente norte-americano, Donald Trump, e o WikiLeaks, nesta sexta-feira, em que os acusa de conspirar para interferir na campanha para a eleição presidencial de 2016, mostram documentos judiciais.

O presidente norte-americano, Donald Trump

O partido alega na ação federal impetrada junto a um tribunal federal de Manhattan; que autoridades da campanha de Trump conspiraram com o governo russo e a agência militar de espionagem da Rússia; para prejudicar a candidata presidencial democrata, Hillary Clinton; e favorecer Trump na eleição por meio de ataques hackers a computadores do Partido Democrata, de acordo com os documentos.

A ação também coloca Donald Trump Jr., o associado de Trump Roger Stone e o genro do presidente dos EUA, Jared Kushner, como acusados.

A ação judicial alega que a campanha de Trump “alegremente recebeu a ajuda da Rússia” na eleição de 2016.

A Casa Branca não respondeu de imediato aos pedidos de comentário. Trump tem negado repetidamente que sua campanha tenha conspirado com a Rússia. A Rússia tem negado intromissão na eleição.

O Comitê Nacional Republicano

O Comitê Nacional Republicano, a campanha Trump; o gerente da campanha Trump Michael Glassner; o WikiLeaks, Stone e advogados de Donald Trump Jr.; o ex-chefe de campanha Paul Manafort; o associado de Manafort Rick Gates e o ex-assessor de campanha George Papadopoulous também não responderam imediatamente a pedidos de comentário.

A ação, se for adiante, provavelmente ajudará a manter os holofotes sobre a questão da interferência russa na eleição; e possível conluio com a campanha Trump. Ambos estão sendo investigados pelo procurador especial Robert Mueller.

Por meio do processo legal, os advogados do Partido Democrata poderiam forçar os acusados a produzir documentos sobre a questão do conluio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *