Eletrobras aumenta capital com emissão de ações da companhia

Arquivado em: Energia, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 26 de dezembro de 2019 as 13:25, por: CdB

O valor resultou do exercício por acionistas da empresa do exercício de preferência após a companhia ter anunciado que faria a operação e que o governo federal, controlador, deveria subscrever um mínimo de R$ 4,05 bilhões por meio da capitalização de Adiantamentos para Futuro Aumento de Capital.

 

Por Redação, com Reuters – do Rio de Janeiro

 

A estatal de energia Eletrobras informou que uma operação para aumento de capital resultou na subscrição privada de R$ 7,47 bilhões em ações da companhia, o equivalente a 75,2% do almejado na operação, segundo comunicado divulgado na noite de segunda-feira.

A maior elétrica da América Latina é responsável por metade da transmissão e um terço da capacidade de geração no Brasil

O valor resultou do exercício por acionistas da empresa do exercício de preferência após a companhia ter anunciado que faria a operação e que o governo federal, controlador, deveria subscrever um mínimo de R$ 4,05 bilhões por meio da capitalização de Adiantamentos para Futuro Aumento de Capital (AFACs).

Sobras

As ações subscritas referentes ao exercício de preferência foram 192,79 milhões de papéis ordinários, a preço unitário de R$ 35,72, e 15,56 milhões de ações preferenciais, a R$ 37,50 cada.

A Eletrobras afirmou ainda que, considerando a totalidade das ações propostas na operação, ainda foram subscritas, em exercício de sobras, 9,8 milhões de ações ordinárias e 1,8 milhão de ações preferenciais, pelos mesmos valores (R$ 35,72 e R$ 37,50, respectivamente).

Os investidores que exerceram sobras deverão integralizá-las em 26 e 27 de dezembro de 2019.

O conselho de administração da estatal convocará uma Assembleia Geral Extraordinária para deliberar sobre a homologação do aumento de capital, acrescentou a Eletrobras no comunicado, sem projetar uma data.

Pagamento

A Eletrobras afirmou ainda, no mesmo comunicado, que realizará o pagamento de seus dividendos referentes ao resultado de 2018, no valor de R$ 1,25 bilhão, no dia 30 de dezembro de 2019.

A estatal havia permitido que acionistas utilizassem os dividendos ainda não recebidos a que tinham direito para participação no aumento de capital. Assim, acionistas que participaram da operação receberão a diferença entre os dividendos atualizados a que tinham direito e o valor utilizado na subscrição de ações na transação.