Elizabeth Gomes é ouro e bate recorde mundial no lançamento de disco

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Esportes Olímpicos, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 30 de agosto de 2021 as 12:17, por: CdB

A atleta paulista ainda quebrou duas vezes o próprio recorde mundial na modalidade. No penúltimo lançamento conseguiu 17,62 metros, o primeiro recorde, o que já lhe garantiu o degrau mais alto do pódio, antes mesmo do fim da prova.

Por Redação, com ABr – de Tóquio

O Brasil conquistou o segundo ouro no lançamento de disco na manhã desta segunda-feira, na Paralimpíada de Tóquio (Japão). Desta vez o feito foi de Elizabeth Gomes, na disputa feminina da classe F52 (cadeirante).

Elizabeth Gomes, na disputa feminina da classe F52 (cadeirante)

A atleta paulista ainda quebrou duas vezes o próprio recorde mundial na modalidade. No penúltimo lançamento conseguiu 17,62 metros, o primeiro recorde, o que já lhe garantiu o degrau mais alto do pódio, antes mesmo do fim da prova. No último lançamento, bateu novo recorde, de 17,33m. Na madrugada desta segunda-feira, Claudiney Batista dos Santos também faturou ouro, com a marca de 45m59 na disputa masculina da classe F56 (cadeirante), com a marca de 45m59.

O lançamento de Elizabeth Gomes superou em mais de dois metros o da ucraniana Iana Lebiedieva, medalha de prata, com marca de 15m48. O bronze ficou com outra ucraniana, Zoia Ovsii, que lançou o disco a 14m37.

Em 1993, quando foi diagnosticada com esclerose múltipla, Elizabeth era jogadora de vôlei. O início no esporte paralímpico foi no basquete em cadeiras de rodas, em Santos (SP), sua cidade natal. Durante os treinos descobriu o atletismo.  Em 2019, a atleta conquistou ouro tanto no Mundial Dubai, quanto nos Jogos Parapan-Americanos de Lima (Peru).

Alessandro Rodrigo da Silva

O Brasil obteve mais uma prata nesta segunda-feira no atletismo na Paralimpíada de Tóquio 2020. Dessa vez, no arremesso de peso Classe F11 (deficientes visuais), com Alessandro Rodrigo da Silva. O paulista de Santo André, que ficou cego devido a toxoplasmose, conseguiu fazer um arremesso de 13m89, distância superada apenas pelo iraniano Mahdi Oladi, que obteve a medalha de ouro com um arremesso de 14m43.

Em 2019, Alessandro foi ouro no lançamento de disco e bronze no arremesso de peso, durante o mundial de Dubai. Foi também ouro nessas duas modalidades nos Jogos Parapan-Americandos Lima 2019.

A coleção de medalhas de ouro do atleta inclui, ainda, as obtidas no lançamento de disco do Mundial Londres (2017) e dos Jogos Paralímpicos Rio 2016; e dois ouros no arremesso de peso e lançamento de disco dos Jogos Parapan-Americanos de Toronto, em 2015.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code