Elon Musk diz que comprou ventiladores da China para os Estados Unidos

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Redes Sociais, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 24 de março de 2020 as 13:33, por: CdB

A Tesla comprou ventiladores hospitalares na China e os enviou para os Estados Unidos, disse o presidente-executivo da fabricante de carros elétricos, Elon Musk, nesta terça-feira.

Por Redação, com Reuters – de Frankfurt/São Paulo

A Tesla comprou ventiladores hospitalares na China e os enviou para os Estados Unidos, disse o presidente-executivo da fabricante de carros elétricos, Elon Musk, nesta terça-feira.

Presidente-executivo da fabricante de carros elétricos, Elon Musk
Presidente-executivo da fabricante de carros elétricos, Elon Musk

A compra da Tesla ocorre quando governos de todo o mundo pedem ajuda às montadoras e empresas do setor aeroespacial para adquirir ou fabricar ventiladores e outros equipamentos médicos.

– A China tinha um excesso de oferta, então compramos 1255 ventiladores ResMed, Philips e Medtronic aprovados pela FDA na noite de sexta-feira e os transportamos para Los Angeles – disse Musk no Twitter.

O governador da Califórnia, Gavin Newsom, disse nesta terça-feira que o Estado receberá 1 mil ventiladores da Tesla enquanto os Estados Unidos se preparam para lidar com o crescente número de pacientes infectados pelo coronavírus.

Fabricantes de larga escala

Autoridades esperam que fabricantes de larga escala possam usar suas cadeias de fornecimento de baixo custo e sua experiência na produção de equipamentos de tecnologia, incluindo impressão 3D, e redefinir o propósito de algumas fábricas para compensar o déficit previsto em equipamentos médicos vitais.

As montadoras alertaram que a produção de equipamentos médicos delicados com padrões adequados para uso em unidades de tratamento intensiva continua sendo um desafio.

Facebook

O Facebook vai reduzir qualidade de streaming de vídeo em sua plataforma e no Instagram na América Latina, replicando medidas adotadas para as atividades da empresa na Europa. A medida vem para reduzir congestionamento de dados em uma região que está começando a sentir os efeitos da pandemia de Covid-19.

No domingo, o Facebook acompanhou medidas tomadas por Netflix, YouTube, Amazon e Walt Disney no sentido de reduzir congestionamento de dados da internet na Europa uma vez que milhões de pessoas estão com recomendação para não saírem de casa ou em regime de trabalho remoto.

“Para ajudar a aliviar as redes neste período de alta demanda devido à pandemia de Covid-19, vamos reduzir temporariamente a resolução em bits dos vídeos no Facebook e Instagram na América Latina”, afirmou o Facebook em comunicado.

“Queremos garantir que as pessoas possam permanecer conectadas…e continuaremos trabalhando com nossos parceiros para administrar qualquer limitação de transmissão de dados”, acrescentou a empresa.

A plataforma de streaming GloboPlay anunciou que a transmissão de vídeos em 4K e em alta definição será temporariamente suspensa a partir de segunda-feira.

Questionada sobre planos sobre redução da qualidade do streaming no Brasil, como adotado na Europa, a Netflix afirmou que “vai continuar a trabalhar com os provedores de internet e governos de todo mundo e que vai aplicar estas mudanças em outras regiões, se necessário”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *