Empresa da China de inteligência artificial processa Apple

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 3 de agosto de 2020 as 12:48, por: CdB

A empresa pede 10 bilhões de iuanes (US$ 1,43 bilhão) em indenização e exige que a Apple pare de “fabricar, usar, prometer vender, vender e importar” produtos que infringem a patente, afirmou em comunicado.

Por Redação, com Reuters – de Washington/Pequim

A empresa chinesa de inteligência artificial Shanghai Zhizhen Intelligent, também conhecida como Xiao-i, entrou com uma ação contra a Apple, alegando infração de patentes.

Empresa chinesa de inteligência artificial processa Apple
Empresa chinesa de inteligência artificial processa Apple

A empresa pede 10 bilhões de iuanes (US$ 1,43 bilhão) em indenização e exige que a Apple pare de “fabricar, usar, prometer vender, vender e importar” produtos que infringem a patente, afirmou em comunicado.

A Xiao-i argumentou que a tecnologia de reconhecimento de voz da Apple, Siri, viola uma patente da empresa solicitada em 2004 e concedida em 2009.

A Apple não respondeu a um pedido de comentário. À agência inglesa de notícias Reuters não obteve acesso a uma cópia do processo judicial.

O processo marca a sequência de um conflito que ocorre há quase uma década.

A Shanghai Zhizhen processou a Apple pela primeira vez por violação de patente em 2012, devido à sua tecnologia de reconhecimento de voz. Em julho, o Supremo Tribunal Popular da China decidiu que a patente era válida.

Microsoft

O assessor comercial da Casa Branca, Peter Navarro, sugeriu nesta segunda-feira que a Microsoft aliene suas participações na China se comprar o aplicativo chinês TikTok.

– Então a questão é: a Microsoft será comprometida? Navarro – disse em entrevista à CNN. “Talvez a Microsoft possa alienar suas participações chinesas?”

O presidente Donald Trump concordou em dar à ByteDance, proprietária do TikTok, 45 dias para negociar a venda do popular aplicativo para a Microsoft, disseram no domingo três pessoas familiarizadas com o assunto.

Venda de operações

Uma potencial acordo forçado entre a Microsoft e as operações norte-americanas do TikTok provocou indignação em redes sociais chinesas nesta segunda-feira, bem como críticas por parte de um importante investidor chinês da controladora do aplicativo, a ByteDance.

A gigante de tecnologia dos EUA declarou formalmente no domingo interesse na aquisição, depois que o presidente norte-americano, Donald Trump, que citou supostos riscos de segurança nacional apresentados pelo aplicativo, voltou atrás sobre uma proibição que planejava e deu às duas empresas 45 dias para chegarem a um acordo.

A proposta de aquisição de partes do TikTok, que possui 100 milhões de usuários nos EUA, ofereceria à Microsoft uma rara oportunidade de se tornar uma grande concorrente de gigantes de mídia social como Facebook e Snap.

A ByteDance não confirmou publicamente as negociações de venda. Mas em um comunicado interno para sua equipe visto pela agência inglesa de notícias Reuters nesta segunda-feira, o fundador e presidente-executivo da empresa, Zhang Yiming, disse que iniciou conversas com uma empresa de tecnologia não identificada para abrir caminho “para que continuemos oferecendo o aplicativo TikTok nos EUA”.

Pessoas próximas à situação disseram à Reuters que o TikTok pode valer US$ 50 bilhões, mas a venda forçada da divisão dos EUA e de algumas outras unidades por si só provavelmente renderá muito menos do que isso.

– Um acordo forçado sob a mira de Washington poderia se abrir para litígios sem fim, se resultasse (em) um resultado desfavorável para os acionistas privados existentes – disse Fred Hu, presidente do Primavera Capital Group, investidor da ByteDance e um dos investidores privados mais conhecidos da China.

Hu disse que a Microsoft era uma compradora respeitável, mas questionou como vender grandes partes das operações do TikTok em um estágio tão inicial de seu crescimento seria um bom negócio para a ByteDance.

– Isso absolutamente não faz sentido. A Bytedance é uma vítima inocente da loucura da política e da geopolítica. É um resultado triste para a Bytedance, para o capitalismo empreendedor e para o futuro do comércio global – disse ele.

A carta de Zhang a seus funcionários também disse que a ByteDance não concorda com a posição adotada pelo Comitê de Investimentos Estrangeiros nos Estados Unidos (CFIUS), que analisa acordos de riscos à segurança nacional, de que deve desinvestir totalmente as operações da TikTok nos EUA.

“Discordamos desta conclusão do CFIUS”, disse a carta, mas acrescentou: “… entendemos a decisão no atual ambiente macro”.

A ByteDance não comentou o assunto.

TikTok

Em uma entrevista anterior à Fox News, Navarro disse que qualquer potencial comprador do TikTok que possui operações na China pode ser um problema.

Navarro citou o mecanismo de busca Bing e a plataforma Skype da Microsoft, dizendo que “são efetivamente facilitadores da censura, vigilância e monitoramento chineses”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *