Empresas de tecnologia criam adesivo que monitora temperatura para combater coronavírus

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 26 de maio de 2020 as 11:03, por: CdB

Um grupo de empresas de tecnologia está trabalhando em um pequeno adesivo que pode ser usado para monitorar temperaturas corporais elevadas que às vezes podem indicar os primeiros sintomas de covid-19.

Por Redação, com Reuters – de São Francisco/Seul

Um grupo de empresas de tecnologia está trabalhando em um pequeno adesivo que pode ser usado para monitorar temperaturas corporais elevadas que às vezes podem indicar os primeiros sintomas de covid-19.

Um grupo de empresas de tecnologia está trabalhando em um pequeno adesivo que pode ser usado para monitorar temperaturas corporais
Um grupo de empresas de tecnologia está trabalhando em um pequeno adesivo que pode ser usado para monitorar temperaturas corporais

O adesivo é equipado com um microchip especialmente desenvolvido que será produzido em uma fábrica operada pela SkyWater Technology, em colaboração com a projetista de chips Linear ASICs e a empresa de investimentos Asymmetric Return Capital. O adesivo deve conectar-se a um smartphone para monitorar a temperatura corporal de uma pessoa, disseram as empresas.

O grupo tem como objetivo produzir um dispositivo que pode ser fabricado em larga escala para monitorar remotamente as temperaturas.

Temporada de gripe

– Isso será especialmente importante quando entrarmos na temporada de gripe ainda este ano – afirmou Bryan Wisk, sócio fundador da Asymmetric Return Capital, em comunicado.

O projeto faz parte de uma parceria mais ampla com duas outras empresas: a desenvolvedora de software SensiML e a Upward Health, operadora de serviços de saúde em domicílios.

As empresas esperam usar inteligência artificial para analisar sinais como o som da tosse e identificar padrões únicos para os sintomas de Covid-19. Essas descobertas podem ser usadas para criar sistemas baseados em sensores que podem rastrear o vírus e retardar sua disseminação.

– Há uma enorme necessidade de melhores ferramentas de triagem pré-diagnóstico, conforme as medidas de reabertura são implementadas nos EUA e no mundo – disse Chris Rogers, presidente-executivo da SensiML, em comunicado.

Robô barista

O novo robô barista num café em Daejeon, na Coréia do Sul, é cortês e rápido, à medida que se aproxima dos clientes.

“Aqui está o seu café com leite e amêndoas Rooibos, por favor, aproveite”, diz a máquina quando um cliente procura sua bebida em uma bandeja instalada dentro do grande computador em forma de cápsula.

Após conseguir conter o coronavírus que infectou mais de 11 mil pessoas e matou 267, a Coreia do Sul está lentamente migrando do intenso distanciamento social para o que o governo chama de “distanciamento na vida diária”.

Os robôs podem ajudar as pessoas a observar o distanciamento social público, disse Lee Dong-bae, diretor de pesquisa da Vision Semicon, um fornecedor que desenvolveu o robô barista junto com um instituto de ciências estatal.

O sistema

O sistema, que usa um braço robótico para fazer café e um robô para servir, pode fazer 60 tipos de café e serve as bebidas para os clientes em seus assentos. Também pode se comunicar e transmitir dados para outros dispositivos e tem autonomia para calcular as melhores rotas entre as mesas.

Um pedido de seis bebidas, processado em um quiosque, levou apenas sete minutos para ficar pronto. O único funcionário humano no café de dois andares é um homem que também faz alguns serviços de limpeza e recarga de ingredientes nas máquinas.

O fabricante e o instituto científico pretendem fornecer pelo menos 30 cafés com robôs neste ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *