Encenação da posse de Bolsonaro mobiliza aparato de segurança visto apenas na ditadura militar

Arquivado em: Brasil, Destaque do Dia, Últimas Notícias
Publicado domingo, 30 de dezembro de 2018 as 16:15, por: CdB

A encenação envolveu as Forças Armadas, a Polícia Militar, a Força Nacional e o Corpo de Bombeiros, que ficarão a postos antes, durante e depois do evento. No dia, 3,2 mil agentes irão atuar.

 

Por Redação – de Brasília

 

Tanque diante do Palácio do Planalto e do Congresso Nacional, durante o Golpe Militar. Brasília, 1964.
Tanque diante do Palácio do Planalto e do Congresso Nacional, durante o Golpe Militar. Brasília, 1964.

A dois dias da cerimônia de posse do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), um ensaio geral mobilizou o aparato de segurança — o maior já visto em evento semelhante, na história brasileira — na Esplanada dos Ministérios. Neste domingo, figurantes simularam o trajeto de Jair Bolsonaro e da futura primeira-dama, Michelle Bolsonaro, até o Congresso, na rampa do Palácio do Planalto e no Palácio do Itamaraty.

A encenação envolveu as Forças Armadas, a Polícia Militar, a Força Nacional e o Corpo de Bombeiros, que ficarão a postos antes, durante e depois do evento. No dia, 3,2 mil agentes irão atuar. O número de militares envolvidos somente foi visto, proporcionalmente, durante o período da ditadura militar.

Sob sol forte, os atores realizaram testes de segurança nas três instalações e em toda a extensão da região central de Brasília. O teste foi feito sob forte esquema de segurança da Polícia Rodoviária Federal e fechado ao público.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *