Enchentes deixam mortos na França e Itália

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sábado, 3 de outubro de 2020 as 18:29, por: CdB

Chuvas recordes causam inundações e deslizamentos de terra na região da fronteira entre os dois países, deixando rastro de destruição, dois mortos e mais de 20 desaparecidos.

Por Redação, com DW – de Roma/Paris

Inundações na região montanhosa da fronteira entre a França e a Itália deixaram neste sábado pelo menos dois mortos e 24 desaparecidos nos dois países. As enchentes foram causadas por uma tempestade, que começou durante a noite no sudeste franceses e atingiu o norte italiano.

Tempestade destruiu estrada na região da fronteira entre França e Itália
Tempestade destruiu estrada na região da fronteira entre França e Itália

Nos dois lados da fronteira, grandes inundações destruíram pontes, bloquearam estradas e deixaram comunidades inteiras isoladas. Duas mortes ocorreram na Itália.

Um bombeiro morreu durante uma operação de resgate na região de Valle de Aosta ao ser atingido por uma árvore. Outro corpo foi encontrado na província Vercelli, perto do local onde um homem havia sido arrastado pela enchente.

Pelo menos 16 pessoas foram dadas como desaparecidas na Itália, a maioria estava em carros que trafegavam num túnel da região de Col de Tende, segundo a defesa civil. Entre elas estão dois alemães que voltam da França com os netos de 6 e 11 anos e um pastor que foi arrastado pela enchente.

O porta-voz dos bombeiras da Itália, Luca Cari, disse que foram dados como desaparecidos aqueles cujos parentes não conseguiram fazer contato por telefone e acredita que eles não estejam, no momento, em perigo iminente. Segundo Cari, a situação no túnel é complicada pelo fato de que equipes de emergência francesas não estarem conseguido acessá-lo devido às enchentes.

As chuvas

As chuvas registadas na região do Piemonte ultrapassaram o recorde de 1958, segundo a Agência Regional para a Proteção do Meio Ambiente da Itália. Elas provocaram ainda deslizamentos de terra, que bloquearam estradas e ferrovias. As enchentes na província Vercelli foram as maiores dos últimos 20 anos.

Centenas de bombeiros foram deslocados para região para as operações de busca e resgate. Diversas pessoas tiveram que deixar suas casas.

O governador da região do Piemonte, Alberto Cirio, apelou ao governo que declarasse estado de emergência. A localidade de Limone, um centro turístico nos Alpes, na fronteira com a França, está isolada, não tem eletricidade, nem água, muitas áreas estão completamente inundadas e alguns edifícios tiveram de ser desocupados.

– Estou em contato permanente com o chefe da Defesa Civil, Angelo Borrelli, devido ao mau tempo no noroeste. Estamos garantindo uma vigilância contínua, em plena coordenação com os territórios afetados, com especial atenção para o Valle de Aosta, Piemonte e Ligúria. A atenção do governo é máxima – disse o primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte.

Destruição na França

Na França, em menos de 12 horas, choveu a média anual de precipitação para o sudeste do país. Ao menos oito pessoas estão desaparecidas, incluindo dois bombeiros cujo veículo foi arrastado pela água, após o desabamento de uma estrada durante uma operação de resgate.

A tempestade devastou vilarejo na região de Nice, na Riviera Francesa. Após sobrevoar a região, o prefeito de Nice, Christian Estrosi, disse que esse foi o pior desastre de inundação na região em mais de um século.

De acordo com Estrosi, mais de 100 casas foram destruídas na cidade. Dezenas de pessoas tiveram que ser evacuadas.

A agência meteorológica nacional da França emitiu um alerta de perigo na sexta-feira e autoridades recomendaram que as pessoas ficassem em casa.

O presidente francês, Emmanuel Macron, agradeceu aos envolvidos nas operações de resgate. “Juntos vamos superar isso”, escreveu nas redes sociais. O primeiro-ministro, Jean Castex, e o ministro do Interior, Gerald Darmanin, chegaram na região atingida na tarde de sábado.