Entenda os riscos do consumo de bebida alcoólica

Arquivado em: Destaque do Dia, Saúde, Últimas Notícias, Vida & Estilo
Publicado quarta-feira, 6 de março de 2019 as 11:51, por: CdB

Segundo a OMS, não existe volume seguro de álcool a ser consumido, porque ele é tóxico para o organismo humano e pode provocar doenças.

Por Redação, com ACS – de Brasília

O consumo de qualquer tipo de bebida alcoólica pode trazer danos imediatos à saúde ou a médio e longo prazo. Isso sem contar com os riscos de acidentes de trânsito causados pela combinação de álcool e volante. Mas, afinal, que riscos são esses e como evitá-los?

O consumo de qualquer tipo de bebida alcoólica pode trazer danos imediatos à saúde ou a médio e longo prazo

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), não existe volume seguro de álcool a ser consumido, porque ele é tóxico para o organismo humano e pode provocar doenças mentais, diversos cânceres, problemas hepático, como a cirrose, alterações cardiovasculares, com riso de infarto e acidente vascular cerebral e a diminuição de imunidade. Além de ser responsável por episódios de violência física contra si ou contra outras pessoas.

No entanto, se a opção é pelo consumo mesmo assim, a OMS orienta ter limite ao beber qualquer derivado do álcool. “Essa substância provoca alterações no cérebro, semelhante às drogas, como a cocaína. Isso causa uma sensação prazerosa e que faz com que as pessoas tenham interesse em consumir novamente”, explica Maria Célia Brangioni, responsável pelo Serviço de Estudos e Atenção a Usuários de Álcool e outras Drogas do Hospital Universitário de Brasília (HUB).

Uso recreativo, abusivo e compulsivo

A psiquiatra explica que o álcool está relacionado às culturas. Existem aquelas, como a mulçumana, onde é proibido o uso do álcool. “Já o brasileiro bebe e bebe muito. Somos o país da América Latina que mais ingere álcool. Existe o uso recreativo em eventos sociais; o uso abusivo, com a quantidade acima do limite permito do ponto de vista físico e psicossocial; e existe a dependência, com compulsão para o uso, sintomas de abstinência, prejuízo funcional, laboral e familiar. É uma doença reconhecida pelo Código Internacional de Doenças. E é dividida em leve, moderada e grave”, alerta.

Brangioni também alerta que o tratamento de dependentes é “muito complexo, pois, precisa de tratamento farmacológico para desintoxicação e técnicas motivacionais com intervenções específicas. É preciso uma equipe multidisciplinar para o atendimento”. Por isso, ela sugere: “se for ingerir bebida alcoólica, tem que saber dos riscos de toda essa problemática apresentada, inclusive do exagero e da dependência. É possível ter vida social sem o consumo do álcool”.

Mortes causados pelo álcool

De acordo com a OMS, em todo o mundo, mais de 3 milhões de homens e mulheres morrem todo os anos justamente pelo uso nocivo de bebidas alcoólicas. Ao todo, 5% das doenças mundiais são causadas pelo álcool.

Ainda conforme relatório da OMS, divulgado em 2018, 28% das mortes provocadas pelo consumo de álcool são resultado de lesões, como por exemplo, acidentes de trânsito. Outras 21% são distúrbios digestivos graves, 19% são doenças cardiovasculares e o restante doenças infecciosas, câncer e transtornos mentais.

Casos graves

Apesar de causar males à saúde de qualquer pessoa, em qualquer idade, o álcool pode provocar patologias ainda mais graves em alguns casos. As gestantes são um exemplo. Bebidas alcoólicas consumidas durante a gestação aumentam o risco de aborto ou de parto prematuro.

Além disso, elas podem causar ao bebê má formação e retardo mental, alterações no rosto e diminuição do tamanho do crânio, retardo no desenvolvimento e no crescimento, problemas cardíacos e síndrome do alcoolismo fetal, que é o retardo no crescimento do bebê dentro do útero e após o nascimento, resultando em problemas de fala e raciocínio, diminuição da coordenação motora e problemas de coração.

Também há grande risco para pessoas em tratamento contra qualquer doença. Estas precisam de uma vida saudável, baseada em uma dieta totalmente livre do álcool.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *