Entorno de Trump tem cada vez mais casos de coronavírus

Arquivado em: América do Norte, Manchete, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sábado, 3 de outubro de 2020 as 11:36, por: CdB

Ex-assessora do presidente Kellyanne Conway testa positivo, assim como dois senadores republicanos e gerente de campanha. Evento na Casa Branca pode ter sido foco de contágios.

Por Redação, com DW – de Washington

Cada vez mais infecções por covid-19 são reveladas no entorno do presidente dos EUA, Donald Trump. Nos dias anteriores à notícia de que ele foi testado positivo para o coronavírus, Trump viajou muito, esteve próximo de dezenas de pessoas. Um evento em especial passa a ser foco das atenções: o encontro de sábado passado no jardim da Casa Branca, onde Trump anunciou a indicação da juíza conservadora Amy Coney Barrett para uma vaga na Suprema Corte dos EUA.

Anúncio de Coney Barrett para Suprema Corte no jardim da Casa Branca: poucas máscaras e sem distanciamento
Anúncio de Coney Barrett para Suprema Corte no jardim da Casa Branca: poucas máscaras e sem distanciamento

Após anunciar que ele e a primeira-dama têm covid-19, Trump foi internado na sexta-feira em um hospital militar como “precaução”, onde iniciou uma terapia com o antiviral Remdesivir, segundo a Casa Branca.

Mais de 100 convidados estiveram reunidos no jardim, em fotos e vídeos, pode ser visto que havia poucas máscaras e pouca manutenção de distância entre as pessoas. De acordo com a emissora CNN, muitos dos participantes se abraçaram ou apertaram as mãos.

Pelo menos seis contaminados

Pelo menos seis dos presentes testaram positivo para o coronavírus desde então: além de Trump e sua mulher, Melania, também estão contaminados a ex-assessora do presidente Kellyanne Conway, que afirmou na noite de sexta-feira ter testado positivo e apresentar leves sintomas, assim como os senadores republicanos Mike Lee e Thom Tillis.

Lee, que não usou máscara durante o encontro, disse ter “sintomas consistentes com alergias de longo tempo”. Tillis, que usou máscara, disse não apresentar sintomas. Ambos afirmaram que ficarão por 10 dias em quarentena – que terminará pouco antes do início das audiências para aprovação de Barret no Senado.

Outro convidado do evento no jardim da Casa Branca, o presidente da Universidade Católica de Notre Dame, John Jenkins, também confirmou estar infectado.

Crescem especulações de que o encontro pode ter sido um foco de contágios. A própria juíza Amy Coney Barrett, entretanto, disse na sexta-feira que não testou positivo para o vírus.

Além disso, também foi divulgado que o gerente da campanha de Trump, Bill Stepien, está infectado. A equipe de campanha confirmou uma informação divulgada pela revista Politico. Stepien tem sintomas leves, como os da gripe. Ele continua trabalhando para a campanha do presidente de casa.

A presidente do Comitê Nacional Republicano, Ronna McDaniel, também anunciou na sexta-feira ter testado positivo para a covid-19.

Testes negativos

O vice-presidente Mike Pence, que assumirá o poder no caso de Trump ficar incapacitado para exercer o cargo, apresentou resultado negativo nesta sexta-feira, assim como Barron, filho adolescente do presidente americano.

Ivanka Trump e Jared Kushner, filha e genro do presidente e conselheiros próximos, também tiveram resultados negativos, assim como o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin e o secretário da Saúde, Alex Azar.

Trump anunciou ter testado positivo para o coronavírus depois que Hope Hicks, uma de suas colaboradoras próximas, ter sido diagnosticada com a doença. Hicks estava a bordo do avião presidencial Air Force One no voo para Cleveland, nesta terça-feira, junto com Trump, a caminho do debate entre o presidente e democrata Joe Biden. A assessora também viajou com Trump na quarta-feira para o estado de Minnesota, onde participou de uma reunião de campanha.

Aos 74 anos, o mandatário está no grupo de alto risco em razão de sua idade e por estar acima do peso. Durante sua presidência, ele apresentou boas condições de saúde, mas é conhecido por não se exercitar regularmente e por não manter uma dieta saudável.

Desde o início da pandemia de covid-19, Trump vinha menosprezando a doença. Ele chegou mesmo a afirmar várias vezes que o vírus iria desaparecer. O presidente ignorou em diversas ocasiões os alertas das autoridades de saúde e vinha realizando eventos de campanha com grande presença de público.