Equipe da Polônia resgata alpinista francesa em ‘Montanha Assassina’ do Paquistão

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Esportes Olímpicos, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 29 de janeiro de 2018 as 12:17, por: CdB

Uma equipe de alpinistas poloneses que se preparava para a primeira escalada de inverno da K2, uma montanha próxima, partiu para resgatá-los

Por Redação, com Reuters – de Varsóvia:

Depois de uma escalada noturna exaustiva, alpinistas poloneses resgataram a francesa Elisabeth Revol nas perigosas encostas da “Montanha Assassina” do Paquistão, mas não conseguiram salvar seu companheiro de aventura, disse a equipe de alpinismo de inverno da Polônia.

Depois de uma escalada noturna exaustiva, alpinistas poloneses resgataram a francesa Elisabeth Revol nas perigosas encostas da “Montanha Assassina”

Elisabeth e o alpinista polonês Tomasz Mackiewicz haviam pedido socorro na sexta-feira depois de escalarem cerca de 7,4 mil dos 8.126 metros de altura do Nanga Parbat, o segundo maior pico paquistanês.

Uma equipe de alpinistas poloneses que se preparava para a primeira escalada de inverno da K2; uma montanha próxima, partiu para resgatá-los.

Subindo até as primeiras horas de domingo, eles encontraram Elisabeth exausta e sofrendo de queimaduras de gelo. Mas a aproximação de uma tempestade de neve os impediu de ir mais alto em busca de Tomasz.

– Saúdo a coragem dos quatro heróis poloneses… a família e os parentes de Tomek estão em meus pensamentos – disse o embaixador francês na Polônia, Pierre Levy, no Twitter.

A equipe de resgate foi composta pelo alpinista russo Denis Urubko; que também tem nacionalidade polonesa, e os alpinistas poloneses Adam Bielecki, Jaroslaw Botor e Piotrek Tomala.

Eles foram levados de helicóptero até uma altura de cerca de 4,9 mil metros; de onde os dois primeiros alpinistas iniciaram a escalada. Helicópteros paquistaneses haviam avistado Elisabeth a cerca de 6,7 mil metros no sábado.

Jogos de Inverno

O governo sul-coreano saudou a confirmação do Comitê Olímpico Internacional (COI) de que 22 atletas da Coreia do Norte vão competir nos Jogos Olímpicos de Inverno no próximo mês, dizendo que isso ajudaria a promover a paz e aliviaria as tensões na península coreana.

Na primeira de uma série de visitas preparatórias, autoridades de música e artes norte-coreanas chegaram à Coreia do Sul para inspecionar os locais das apresentações durante as Olimpíadas.

– A participação da Coreia do Norte nas Olimpíadas será um catalisador para construir a paz e aliviar as tensões na península coreana – afirmou a Casa Azul; residência presidencial da Coreia do Sul, em um comunicado divulgado no domingo.

Contato

Esta é a primeira visita de norte-coreanos ao Sul desde; que o presidente sul-coreano Moon Jae-in assumiu o cargo em maio do ano passado; e procurou restabelecer contato com o Norte.

– O presidente Moon já destacou anteriormente que as Olimpíadas de Pyeongchang deveriam ser um ponto de inflexão importante; para a resolução da questão dos mísseis da Coreia do Norte – disse o comunicado da Casa Azul.

A delegação norte-coreana, composta por sete integrantes e liderada pelo músico Hyon Song-wol; verificou os locais da apresentação de uma equipe artística de 140 pessoas durante as Olimpíadas.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *