Equipes retomam busca por vítimas após desabamento em Minas Gerais

Arquivado em: Brasil, Destaque do Dia, Últimas Notícias
Publicado domingo, 9 de janeiro de 2022 as 10:56, por: CdB

A Marinha também deve investigar se os barcos de passeio poderiam estar no local, considerando as condições climáticas e os alertas meteorológicos. Pela manhã, horas antes do acidente, a Defesa Civil de Minas Gerais havia divulgado um alerta sobre chuvas intensas e a possibilidade de ocorrências de “cabeça d’água” na região.

Por Redação, com DW – de Brasília

O Corpo de Bombeiros informou neste domingo ter encontrado a oitava vítima do desabamento ocorrido neste sábado em um paredão de um cânion em Capitólio, município em Minas Gerais localizado a 284 quilômetros de Belo Horizonte. Sete mortos haviam sido localizados no dia anterior.

Vai a oito número de mortos por queda de paredão de cânion em Capitólio

Os trabalhos de mergulho foram reiniciados às 5h, após terem sido interrompidos à noite.

Dos oito corpos encontrados, segundo os bombeiros, três são de mulheres e cinco, de homens. Todos eles estavam na embarcação que tinha a identificação do nome “Jesus”.

Duas pessoas estão desaparecidas. Ainda segundo as informações divulgadas, quatro pessoas seguem internadas, em hospitais de cidades próximas a Capitólio, e 23 foram atendidas e liberadas.

De acordo com os Bombeiros, mais de 30 pessoas ficaram feridas. Pelo menos quatro barcos foram atingidos.

O acidente ocorreu cerca das 11h no Lago Furnas, quando um grande bloco de pedra caiu de uma altura de cinco metros sobre embarcações que levavam turistas em um passeio.

Nove dos feridos foram hospitalizados, de acordo com os bombeiros.

A chuva intensa que caiu nos últimos dias na região provavelmente contribuiu para o acidente, de acordo com os bombeiros.

Investigação

A Marinha auxilia o Corpo de Bombeiros com equipes de Busca e Salvamento (SAR). Um inquérito será instaurado para apurar o incidente.

A Marinha também deve investigar se os barcos de passeio poderiam estar no local, considerando as condições climáticas e os alertas meteorológicos. Pela manhã, horas antes do acidente, a Defesa Civil de Minas Gerais havia divulgado um alerta sobre chuvas intensas e a possibilidade de ocorrências de “cabeça d’água” na região.

O Corpo de Bombeiros informou que atua no local com apoio de cerca de 40 militares, uma equipe de mergulhadores especializados.

Em um vídeo, é possível ver que o impacto das pedras na água do lago gera uma grande onda e atinge embarcações. Os ocupantes de outros barcos gritam no instante do desabamento.

Outro vídeo postado por Jair Bolsonaro mostra outros turistas tentando alertar quem estava nas lanchas mais próximas aos cânions sobre o risco de desabamento. O presidente classificou o ocorrido como “lamentável desastre” e elogiou os trabalhos de socorro da Marinha.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code