Espírito de equipe pode levar Bélgica à final da Copa, diz técnico

Arquivado em: Esportes, Futebol, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 9 de julho de 2018 as 13:58, por: CdB

O elenco de Martínez enfrenta os campeões mundiais de 1998 em São Petersburgo na terça-feira em busca de uma vaga na final, marcando a primeira vez em que a Bélgica chega a esta fase da Copa do Mundo desde 1986

Por Redação, com Reuters e EFE – de São Petersburgo :

A Bélgica estará em um território desconhecido quando enfrentar a França em uma das semifinais da Copa do Mundo, mas acredita que seu espírito de equipe e sua coesão podem prolongar seu avanço extraordinário na Rússia, disse o técnico Roberto Martínez.

A Bélgica estará em um território desconhecido quando enfrentar a França em uma das semifinais da Copa do Mundo

O elenco de Martínez enfrenta os campeões mundiais de 1998 em São Petersburgo na terça-feira em busca de uma vaga na final, marcando a primeira vez em que a Bélgica chega a esta fase da Copa do Mundo desde 1986, quando terminaram na quarta colocação.

– Os jogadores estão trabalhando juntos extraordinariamente bem há muitos anos, e merecem estar exatamente onde estão hoje – disse Martínez à ESPN FC.

– Sinto que o aspecto mais importante que trabalhamos é a ideia de ser um time. Habilidades e talentos individuais são importantes, mas nestes torneios é absolutamente necessário jogar como um time.

– É uma viagem ao desconhecido. Nunca estivemos nesta situação, e é por isso que precisamos de nosso espírito de equipe mais do que nunca contra a França. Precisamos ser a melhor versão de nós mesmos.

O treinador

O treinador vê grandes semelhanças entre os belgas e seus oponentes, especialmente quanto à riqueza de talentos individuais em suas fileiras.

A Bélgica pode contar com nomes como Romelu Lukaku, Eden Hazard e Kevin De Bruyne, enquanto Antoine Griezmann e Kylian Mbappe brilharam para os franceses na Rússia.

Mbappe foi letal na vitória de 4 a 3 sobre a Argentina nas oitavas de final, usando sua velocidade de forma devastadora, mas Martínez disse que sua seleção não cometerá o erro de se concentrar somente em um jogador.

– Os dois (times) têm a mistura certa de juventude e experiência, e também muitos talentos individuais – acrescentou.

– Precisaremos nos antecipar (a Mbappe) e estar bem posicionados. Precisamos defender os espaços mais do que o próprio jogador. Mas não esqueceremos os outros, já que a França tem um padrão de ataque muito completo.

– Este grupo de jogadores precisa jogar sem medo para manter todas suas opções em aberto. É como uma viagem à lua: temos que encará-la cheios de ilusões.

Inglaterra é a semifinalista com mais distância percorrida em deslocamentos

A seleção inglesa é a que chega com mais distância acumulada em deslocamentos pela Rússia entre as quatro semifinalistas da Copa do Mundo, com quase 10.700 quilômetros percorridos.

Para retornar a esta fase do torneio após 28 anos, a Inglaterra estabeleceu sua base em Repino, ao norte de São Petersburgo, viajando para Volgogrado, Nizhny Novgorod e Kaliningrado durante a primeira fase e Moscou, Samara e novamente Moscou, agora para jogar o mata-mata, totalizando 10.669 quilômetros.

Por outro lado, a França é a equipe mais poupada em termos de deslocamentos. Com o Centro de Treinamento nos arredores Moscou, o time de Didier Deschamps atuou uma vez na própria capital russa, duas em Kazan e também em Ecaterimburgo e Nizhny Novgorod. O duelo com a Bélgica será em São Petersburgo.

Quilômetros percorridos pelos semifinalistas da Copa (distância aproximada em linha reta):.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *