Esquerda quer resistir contra prisão de Lula, mas direita pressiona mais

Arquivado em: Brasil, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 6 de abril de 2018 as 18:57, por: CdB

Ministério Público pressionou pela prisão imediata de Lula, embora representantes da esquerda resistam.

Por Redação – de São Paulo

A posição de Guilherme Boulos, pré-candidato à Presidência da República pelo Psol e líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) é apenas uma. Resistir.

— Eles acham que vai haver silêncio? Não vai ser assim — afirmou, em discurso no caminhão de som posicionado em frente ao Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo.

Lula recebe o carinho de todos, na sede do sindicato
Lula recebe o carinho de todos, na sede do sindicato

Boulos lembrou que, há quase 40 anos, o Sindicato dos Metalúrgicos, em São Bernardo, foi invadido pela ditadura. Agora, quatro décadas depois, volta a ser um local de resistência.

— É um momento histórico na luta pela democracia. A prisão de Lula é um acinte, um ataque à democracia. Estar com Lula é defender a democracia e o Brasil. Vamos resistir! — afirmou.

Partidarização

O pré-candidato e líder do MTST disse que a orientação para os movimentos sociais, militantes e população em geral, é que todos se dirijam ao sindicato, no ABC paulista. “A resistência é aqui”, declarou, ponderando, porém, que outros atos também estão acontecendo em diversas cidades do Brasil.

Boulos criticou ainda o que chamou de partidarização de parte do Judiciário brasileiro.

— Juiz tem que julgar, não tem que fazer política partidária — analisou.

Ele citou a maioria “casuística” que se formou no Supremo Tribunal Federal (STF) no julgamento do Habeas Corpus do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

— É grave, a democracia está em risco — advertiu

Pena

Um documento obtido pelo diário espanhol de ultradireita El País revelou, nesta sexta-feira, que partiu do Ministério Público Federal da Quarta Região a iniciativa de pressionar pela rápida execução da condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A determinação pegou de surpresa o país e contrariou o que vinha dizendo o Tribunal Regional Federal de Porto Alegre; sobre o prazo ainda disponível para a defesa do petista.

Segundo o procurador da República Mauricio Gotardo Gerum, que assina eletronicamente a peça, a pena deveria começar a ser cumprida de forma imediata “para estancar a sensação de onipotência” de Lula; que não estaria se submetendo às decisões judiciais.

Tribunal gaúcho

A petição do procurador conclui com um pedido expresso. Este era para que o TRF-IV oficie “com urgência ao juízo de primeira instância; para o imediato cumprimento da ordem de prisão”. O documento foi registrado no sistema do MPF às 12h17 desta quinta-feira; 05 de abril.

Segundo a assessoria de imprensa do MPF, a medida era necessária para que o tribunal gaúcho pudesse organizar uma logística especial de prisão, se assim entendesse necessário.

O sigilo, entretanto, foi levantado no final da tarde; minutos após um ofício do TRF-IV ser expedido. O juiz Sérgio Moro foi notificado, portanto, para que emitisse o mandato de prisão, às 17h31 da quinta. Isso ocorreu apenas três minutos depois.

De qualquer maneira, o documento só está disponível a quem possui uma senha especial para ingressar no sistema de processo eletrônico da Justiça Federal; normalmente restrito às partes e advogados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *