Estado Islâmico mata cerca de 100 pessoas em ataques na Síria

Arquivado em: Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 25 de julho de 2018 as 11:39, por: CdB

Os ataques aparentemente coordenados foram os mais sangrentos a atingir territórios do governo em muitos meses

Por Redação, com Reuters – de Beirute:

Militantes do Estado Islâmico mataram cerca de 100 pessoas em uma série de ataques em partes do sudoeste da Síria controladas pelo governo nesta quarta-feira, incluindo várias explosões de homens-bomba na cidade de Sweida, disseram fontes oficiais.

Fumaça é vista após explosões na fronteira entre a Síria e Israel

Os ataques aparentemente coordenados foram os mais sangrentos a atingir territórios do governo em muitos meses. Pelo menos 96 pessoas morreram e 176 ficaram feridas no total, disse o chefe da autoridade de saúde de Sweida à televisão Al-Manar TV, do grupo Hezbollah, aliado de Damasco.

No nordeste de Sweida, os jihadistas realizaram ataques simultâneos contra vários vilarejos nos quais se chocaram com forças governamentais, disseram a mídia estatal e um grupo de monitoramento da guerra.

Homens-bomba

Pelo menos dois homens-bomba se explodiram na cidade propriamente dita, um perto de um mercado e o segundo em outro distrito, segundo a TV estatal. A agência estatal de notícias Sana disse que outros dois militantes do Estado Islâmico foram mortos antes de conseguirem detonar suas bombas.

O governador de Sweida, Amer al-Eshi, disse que as autoridades também prenderam outro agressor. “A cidade de Sweida está segura e calma agora”, disse ele à estatal Ikhbariyah TV.

O Estado Islâmico foi expulso de quase todo o território sírio que chegou a ocupar no ano passado, graças a ofensivas separadas do Exército apoiado pela Rússia e de uma aliança de milícias auxiliada pelos Estados Unidos.

Desde então o presidente sírio, Bashar al-Assad, acabou com os últimos enclaves rebeldes próximos das cidades de Damasco e Homs e expulsou os insurgentes do sudoeste.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *