Estado Islâmico perde grande parte de enclave

Arquivado em: Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 19 de março de 2019 as 10:51, por: CdB

O acampamento era a maior área remanescente detida pelo Estado Islâmico, que no passado chegou a ocupar um terço do território da Síria e do Iraque.

Por Redação, com Reuters – de Baghouz

Forças sírias apoiadas pelos Estados Unidos disseram que estavam perto de capturar a última porção territorial do Estado Islâmico no leste da Síria nesta terça-feira, depois de capturarem o acampamento dos jihadistas em Baghouz, embora confrontos continuassem com alguns militantes remanescentes.

Fumaça emerge de último território do Estado Islâmico em Baghouz, Síria

– Este não é um anúncio de vitória, mas um progresso significativo na luta contra o Daesh – disse Mustafa Bali, um dirigente de mídia das Forças Democráticas Sírias (FDS), no Twitter, usando uma sigla em árabe para o Estado Islâmico. Questionado pela agência inglesa de notícias Reuters sobre quanto tempo levaria para derrotar os jihadistas remanescentes, Bali disse que espera que a operação termine “muito em breve”.

– As batalhas ainda não acabaram. Ainda há alguns locais perto do rio. Alguns dos terroristas levaram seus filhos como escudos humanos. Há confrontos intermitentes – disse.

O acampamento era a maior área remanescente detida pelo Estado Islâmico, que no passado chegou a ocupar um terço do território da Síria e do Iraque.

O Estado Islâmico foi forçado a recuar para o enclave após anos de campanhas militares, tanto das FDS apoiadas pelos EUA, como do Exército sírio apoiado pela Rússia e do Exército iraquiano aliado a milícias apoiadas pelo Irã.

Nas últimas semanas, enquanto o grupo perdia aliados que fugiam do enclave sitiado, alguns jihadistas convictos montaram uma resistência desesperada no acampamento de Baghouz, atirando de trincheiras e enviando carros-bomba contra os inimigos.

As condições lá dentro eram terríveis, disseram pessoas que saíram, com os habitantes enfrentando perigo constante de bombardeios e com pouca comida, forçados a comer mato. Centenas de militantes feridos foram capturados quando as FDS invadiram o enclave, disse Bali.

Nos últimos dois meses, mais de 60 mil pessoas abandonaram o enclave do grupo, das quais quase metade era de membros que se renderam, incluindo cerca de 5 mil combatentes.

Mesmo à beira da derrota, a divisão de propaganda do grupo continuou a funcionar. Na noite de segunda-feira, o Estado Islâmico divulgou uma gravação em áudio de seu porta-voz, Abi al-Hassan al-Muhajer, afirmando que o grupo permaneceria forte.

– Você acha que o deslocamento dos fracos e pobres em Baghouz vai enfraquecer o Estado Islâmico? Não – disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *